Aziz: se STF suspender convocação de governadores à CPI será interferência de poder

0

Em entrevista ao CB.Poder, nesta segunda-feira (7/6), senador e presidente da CPI da Covid do Senado afirma que Supremo não deve interferir no Poder Executivo

 

 

O senador Omar Aziz, em entrevista exclusiva ao CB.Poder — parceria entre o Correio e a TV Brasília — desta segunda-feira (7/6), afirmou esperar que o Supremo Tribunal Federal (STF) não aceite o pedido dos governadores de não depor à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19, pois isso constitui interferência de um poder no outro.

Quando questionado se o senador, que é presidente da CPI, pensa na possibilidade do Supremo acatar o pedido dos governadores e suspender as convocações, Aziz demonstra reprovação à atitude. “Espero que não haja interferência de nenhum outro poder no trabalho que estamos realizando na CPI”. O parlamentar alega que, ao aceitar esse pedido, o STF, que faz parte do Poder Judiciário, estará interferindo no Senado Federal, que faz parte do Poder Legislativo.

“Os governadores estão falando que a ida deles à CPI é inconstitucional e pedem ao Supremo que mudem (os pedidos) de convocação para convite”, conta Aziz. Ao realizar essa troca, o governador deixa de ser testemunha, que está sob juramento de não poder mentir, e vai apenas como convidado, o que pode atrapalhar a investigação da comissão.

Quanto à convocação dos governadores, o senador explica a importância desses depoimento para a investigação. “Em relação ao governador do Amazonas (Wilson Lima, PSC), a convocação é explicada pela falta de oxigênio e o caos vivido no início do ano (no estado)”, destaca.

O pedido do senador Eduardo Girão (Podemos-CE) para convocar os governadores fala em desvio de recursos e repasses de governos e prefeituras. “O plano é convocar os governadores que foram alvo da operação da Polícia Federal para explicar o que acontece”, afirma Aziz.

anuncio patrocinado