Relatório dos EUA mantém mistério sobre ovnis sem explicar aparições

0

As Forças Armadas e a Inteligência não encontraram nenhuma evidência de que objetos voadores não identificados (OVNIs) avistados por pilotos militares eram espaçonaves extraterrestres, informa o relatório, de acordo com o jornal The New York Times e outros meios de comunicação.

 

Um relatório oficial dos EUA concluiu que não há evidências da existência de OVNIs, mas reconheceu que é difícil explicar os fenômenos misteriosos observados pelos pilotos militares, informou a imprensa na sexta-feira (4).

As Forças Armadas e a Inteligência não encontraram nenhuma evidência de que objetos voadores não identificados (OVNIs) avistados por pilotos militares eram espaçonaves extraterrestres, informa o relatório, de acordo com o jornal The New York Times e outros meios de comunicação.

Mas o relatório também não explica dezenas de fenômenos e incidentes, alguns filmados pelos pilotos, de modo que a existência de alienígenas não pode ser absolutamente descartada.

O New York Times, que cita altos funcionários não identificados, disse que o relatório conclui que a maioria dos cerca de 120 incidentes nos últimos 20 anos não tem nada a ver com o desconhecido, segredos militares americanos ou tecnologia do governo.

Também não estão relacionados a objetos como balões de pesquisa que, para alguns, estariam por trás dos relatos.

Por isso, o relatório não explica, por exemplo, o que os pilotos da Marinha dos Estados Unidos teriam exatamente visto quando filmaram objetos viajando a velocidades quase hipersônicas, girando e desaparecendo misteriosamente.

Séria preocupação

A quantidade do que o Pentágono chama de “Fenômenos Aéreos Não Identificados” (UAP) trata-se de um dado sério quando adversários dos EUA, como Rússia ou China, podem estar usando tecnologias de vigilância desconhecidas e altamente avançadas.

A investigação foi solicitada no ano passado e o resultado será encaminhado ao Congresso até o final deste mês pelo diretor nacional de Inteligência.

O relatório principal pode ser tornado público, mas terá anexos que serão mantidos em sigilo.

O documento, informou o The Washington Post, “não oferecerá conclusões firmes sobre quais objetos (…) poderiam ser”.

O interesse na possibilidade de vida extraterrestre altamente inteligente foi alimentado depois que o Pentágono lançou vídeos no ano passado nos quais os pilotos se mostraram espantados com objetos desconhecidos que se moviam rapidamente.

Somado a isso, houve comentários de altos funcionários com acesso a relatórios de inteligência, incluindo o ex-presidente Barack Obama, e um relatório do programa 60 Minutos da CBS, no qual os pilotos foram questionados sobre o que teriam visto.

“A verdade é (…) que há filmagens e registros de objetos nos céus que não sabemos exatamente o que são”, alertou Obama, em 17 de maio, em um programa de televisão.

“Muitas aparições foram tornadas públicas”, acrescentou John Ratcliffe, diretor de Inteligência por oito meses durante o mandato de Donald Trump, à Fox News em março.

“Há momentos em que não temos boas explicações para muitas coisas que vimos”, observou.

Luis Elizondo, que trabalhou na investigação do Pentágono sobre os UAPs e pede a divulgação do que é conhecido, afirmou que muito do que é visto sugere uma tecnologia extremamente avançada desconhecida pelos humanos.

“Se as informações do New York Times estiverem corretas, os objetos vistos pelos pilotos ao redor do mundo são muito mais avançados do que qualquer outra tecnologia terrestre conhecida por nossos serviços de inteligência”, explicou Elizondo no Twitter na sexta-feira.

“É hora de divulgar o relatório completo, vídeos e dados do que vimos no Pentágono”, acrescentou.

anuncio patrocinado