Ex-policial tem surto e tenta ressuscitar irmão morto há dois dias

0

Com o insucesso, o ex-policial ameaçou explodir a casa

 

Um ex-policial militar, que foi expulso da corporação e responde por crimes que não foram detalhados pela PM, foi o protagonista de uma ocorrência incomum e intrigante, que deixou apreensiva toda a vizinhança do imóvel onde ele morava com o irmão, no Bairro Vera Cruz, em Governador Valadares, no Leste de Minas.

Nesta quinta-feira (03/6), ele teve um surto psicótico e começou a falar coisas incompreensíveis e outras de uma clareza absurda, como, por exemplo, que tinha dons mediúnicos, e que usando esses dons, seria capaz de ressuscitar o seu irmão, que havia morrido na terça-feira (01/6) e estava estirado em um dos cômodos da casa.

Perturbado com a morte do irmão e com o insucesso nos procedimentos de ressuscitação que aplicou ao cadáver, o ex-policial continuou a falar coisas incompreensíveis e fez algumas ameaças a quem o perturbasse, dizendo que tinha armas, munições e várias bananas de dinamite, arsenal suficiente para mandar a casa onde morava pelos ares.

A vizinhança, em pânico, chamou a Polícia Militar, que cercou a casa onde estava o ex-policial. Como era uma situação que envolvia perigo iminente de uma forte explosão na região do Bairro Vera Cruz, policiais do BOPE foram requisitados em Belo Horizonte para dar suporte à operação policial.

Com a chegada dos policiais do BOPE, iniciou-se a negociação para que o ex-policial se entregasse. Depois de horas, os policiais convenceram o ex-colega de farda a se entregar. Então, o ex-policial, que usava tornozeleira eletrônica, permitiu a entrada das forças de segurança.

O Tenente Coronel Carvalhais disse que os policiais entraram na casa com todo o aparato de defesa, como escudos balísticos, munições de elastômero e taser (choque). Mas ao ficarem frente a frente com o ex-policial, se surpreenderam com a reação dele.

“Ele nos disse: podem colocar as algemas aqui, vocês me conhecem, são amigos meus”, comentou o Ten. Cel. Carvalhais. Depois de algemado, o ex-policial foi levado para o Pronto Socorro do Hospital Municipal para ser medicado. Depois, seria levado à Delegacia de Polícia Civil, com as armas apreendidas em sua casa, um revólver, duas facas e munições. Depois de uma varredura dos policiais do BOPE, não foram encontradas as bananas de dinamite.

Atitude insana

No imóvel simples, de dois pavimentos, onde aconteceram os fatos que tiveram o ex-policial como protagonista, moram mais pessoas, segundo a PM. No pavimento de baixo, moravam o ex-policial e seu irmão, que morreu de causas naturais na quarta-feira. Seu corpo ficou trancado em um quarto, sendo besuntado de óleo na suposta sessão mediúnica feita pelo ex-policial.

Os familiares dos dois homens não chamaram a polícia ou o SAMU no dia da morte do irmão do ex-policial, porque eles nem sabiam desse fato. Somente hoje é que desconfiaram do que estava acontecendo, e souberam que o ex-policial estava inconformado com a morte do irmão.

A Polícia Militar não informou nome e idade do irmão do ex-policial, que foi levado ao IML de Governador Valadares para ser examinado pelo médico legista.

anuncio patrocinado