Briga por bicicletas acaba com agressão e tumulto no Rio de Janeiro

0

Uma advogada e um jornalista estavam no local, na Zona Sul do Rio; três pessoas foram detidas, segundo o Segurança Presente

 

O Largo do Machado, na Zona Sul do Rio de Janeiro, foi palco de uma grande confusão na tarde desta quinta-feira (3/6), em pleno feriado de Corpus Christi. A briga generalizada foi entre entregadores por aplicativo e policiais militares do Segurança Presente, e teve envolvidos uma advogada e um jornalista.

A assessoria de comunicação do Segurança Presente apontou que os agente foram chamados ao local, após denúncias de que entregadores por aplicativo estavam impedindo as pessoas de terem acesso a bicicletas de uso público no local. Após pedirem a liberação do espaço, os agentes teriam sido desacatados e agredidos pelos entregadores, sendo que um agente se feriu durante a confusão.

Ainda de acordo com a Segurança Presente, três pessoas foram levadas para a 9ªDP (Catete), para prestarem esclarecimentos. O caso segue em andamento. Dois entregadores foram autuados por lesão corporal, dano a patrimônio público e resistência e responderão em liberdade.

A Segurança Presente disponibilizou uma imagem apontando a ação dos entregadores.

Segurança Presente
Segurança Presente(foto: Reprodução/Segurança Presente)

Advogada e jornalista

Contudo, também em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil — Seção do Estado do Rio de Janeiro (OAB/RJ) conta uma versão diferente para a confusão. Segundo a ordem, os policiais agrediram a advogada Vanessa Lima, que tentava impedir uma prisão arbitrária no meio da confusão.

Um jornalista independente, Guilherme Fernandez, que estava no local também gravou um vídeo mostrando a ação dos militares. Em meio a muita gritaria, as imagens mostram o momento da prisão da advogada e o instante em que Fernandez é abordado. O jornalista disponibilizou o vídeo ao portal carioca O Dia.

Notas

Leia a nota do Segurança Presente na íntegra:

“Um casal procurou os policiais do Laranjeiras Presente no início da tarde desta quinta-feira (3/6) alegando que foram impedidos por entregadores de delivery de pegar uma bicicleta de aplicativo no Largo do Machado. A equipe foi até o local e verificou que os entregadores estavam ao lado das bicicletas esperando serem solicitados para entrega e não deixavam ninguém utilizar. Os agentes solicitaram que os entregadores se afastassem e permitissem o uso público da bicicleta. Segundo os policiais, outros entregadores foram se aglomerando e iniciou um tumulto. Os policiais foram desacatados e agredidos pelos entregadores. Durante a confusão um agente se machucou durante uma queda e foi levado para o Hospital Miguel Couto. Três pessoas envolvidas diretamente na confusão foram levadas para a 9ªDP (Catete), para prestarem esclarecimentos. A ocorrência segue em andamento. A autoridade policial está ouvindo as partes e decidirá quanto a autuação.”

Leia a nota da OAB/RJ na íntegra:

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seção do Estado do Rio de Janeiro, vem a público condenar veementemente a conduta de um grupo de policiais militares que agrediram a advogada Vanessa Lima nesta quinta-feira, dia 3 de junho, em incidente ocorrido no Largo do Machado, Zona Sul da capital fluminense.

Após se identificar como advogada e questionar uma prisão que considerou arbitrária durante uma confusão, ressaltando estar fazendo uso de suas prerrogativas profissionais, Vanessa recebeu voz de prisão, foi agredida fisicamente e conduzida de maneira violenta à delegacia. Além disso, a advogada teve a carteira da OAB arrancada de suas mãos, jogada ao chão e pisoteada.

Acionada, a Comissão de Prerrogativas da Seccional imediatamente prestou socorro à colega e enviou representantes à delegacia de polícia.

As agressões físicas, verbais e morais a uma advogada por parte de policiais demonstram não apenas o despreparo de profissionais, mas caracterizam um evidente desrespeito ao Estado democrático de Direito e à cidadania. Ao ignorar seus deveres perante a sociedade, o agente estatal atinge a própria entidade e coloca em risco toda a coletividade.

Um jornalista que presenciou e registrou em vídeo os abusos foi igualmente agredido e detido de forma violenta, em mais um flagrante desrespeito a princípios constitucionais.

A OABRJ reitera sua preocupação diante de fatos tão graves e cobrará do Governo do Estado que os responsáveis por tais condutas, inadmissíveis em um Estado democrático de Direito, sejam severamente punidos.

A Comissão de Prerrogativas da Seccional segue acompanhando o caso.”

anuncio patrocinado