Reviravolta em investigação: PCDF prende homem que matou companheira no DF

0

Caso foi registrado na 30ª DP (São Sebastião) como acidente doméstico, mas investigadores constataram que a vítima morreu após grave lesão no pescoço provocada por uma arma branca. O suspeito foi preso nesta terça-feira (6/5)

 

 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) elucidou a morte de uma mulher, 33 anos, assassinada pelo companheiro, 36, em 2 de maio. Inicialmente, o caso havia sido registrado na 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião) como acidente doméstico, mas investigadores constataram que a vítima morreu em decorrência de uma grave lesão no pescoço provocada por uma arma branca. Na tarde desta terça-feira (2/6), o suspeito foi preso.

A suspeita é de que o crime teria sido motivado pelo fato de que a mulher pretendia se separar do marido, com quem mantinha um relacionamento de sete anos. Na data do ocorrido, o homem golpeou a companheira com uma arma branca dentro da casa onde o casal morava, no bairro Zumbi dos Palmares, em São Sebastião. A vítima chegou a cair por cima de um vidro e morreu. Após cometer o feminicídio, o suspeito foi para a área externa da casa e fingiu estar consertando uma motocicleta.

Em depoimento à delegacia na época, o homem afirmou que a mulher havia sofrido um mal súbito, vindo a cair sobre o vidro de um aparador na sala da casa. Alegou, ainda, que as lesões causadas eram decorrentes dos estilhaços. “Descobrimos que minutos antes do fato, os dois brigaram e, segundo uma testemunha, ouviu pedidos de socorro da vítima, seguido de um forte barulho de vidro se partindo”, afirmou o delegado-adjunto da 30ª DP, Ulysses Luz.

Constatação

No decorrer das diligências, os policiais constataram que a mulher morreu devido a uma grave lesão no pescoço. A equipe também identificou lesões na mão da vítima, que não descartam a hipótese de que ela, ao ser golpeada no pescoço, tentou se defender do agressor.

“A frieza do autor causou espanto. Após matá-la, ele a deixou agonizando e foi para a parte externa da residência fingir que consertava a motocicleta. O filho da vítima é quem localizou a mãe ferida e procurou socorro”, completou o delegado. Preso, o homem responderá por feminicídio e pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

anuncio patrocinado