Justiça decide pela internação compulsória da jovem suspeita de planejar massacre em escola

0

A decisão de internação compulsória é da juíza plantonista do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT)

 

 

A Justiça do Distrito Federal decidiu pela internação compulsória da jovem de 19 anos investigada por planejar um massacre em uma escola pública do DF. Nas primeiras horas da manhã deste domingo (23/5), policiais da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC) e da Divisão de Operações Especiais (DOE) cumpriram a ordem judicial da juíza plantonista do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT).

A moradora do Recanto das Emas, região administrativa distante 34km do capital, confessou aos investigadores que planejava o ataque à escola onde estudou, localizada na mesma cidade onde vive. Após ser ouvida, na última sexta-feira (21/5), a jovem foi liberada pois não houve flagrante.

Agentes apreenderam celulares, simulacros de armas e máscaras na casa da jovem
Agentes apreenderam celulares, simulacros de armas e máscaras na casa da jovem(foto: PCDF/Divulgação)

Entenda o caso

A mulher passou a ser investigada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), após policiais dos EUA mapearem informações de indivíduos que teriam a intenção de cometer atos graves de violência no DF. A Coordenação do Laboratório de Inteligência Cibernética do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) repassou as informações para a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC/PCDF).

A partir de publicações na internet, os policiais civis do DF localizaram o endereço da suspeita e cumpriram o mandado de busca e apreensão na residência, onde apreenderam dois simulacros de arma de fogo que estariam sendo utilizados em treinamento para o dia do massacre; duas máscaras; celulares; e dois cadernos com anotações.

Em entrevista  na sexta (21/5), o delegado Dário Freitas, da DRCC, afirmou que a jovem confessou o crime. E que as investigações continuam, uma vez que pode haver outros suspeitos e novos desdobramentos.

Memória

Casos de tentativas de atentado
que chocaram o DF

Setor Comercial Sul
» Henrique Almeida Soares, 20 anos, foi condenado a três anos de prisão depois de ameaçar realizar um massacre em um baile funk do Setor Comercial Sul, em fevereiro de 2020. Ele foi detido na casa onde morava com a família, no Lago Norte.

Terroristas de Brazlândia
» Um perfil no Instagram fez ameaças de ataques em Brazlândia. Denominado Terrorista de Brazlândia, a página afirmava que seis bombas teriam sido armadas na cidade, com intenção de detoná-las na noite do réveillon de 2019. O perfil se identificou como o responsável por colocar explosivos no Santuário Menino de Jesus na noite de 24 de dezembro, véspera de Natal.

PCC
» Os setores de inteligência da Polícia Federal e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) mapearam e desarticularam, em outubro de 2018, um plano do Primeiro Comando da Capital (PCC) para realizar atentados contra agentes públicos e explodir bombas em prédios públicos em todo o Brasil. Um dos alvos seria a sede do próprio Depen, em Brasília.

Ataque na UnB
» O brasiliense Marcelo Valle Silveira Mello ganhou o noticiário nacional depois de ser flagrado, em 2012, planejando, pela internet, ataque a uma festa de alunos da Universidade de Brasília (UnB). Por esse episódio, ele passou mais de um ano preso e, em 2013, foi condenado em regime semiaberto.

anuncio patrocinado