‘Serei candidato contra o presidente Jair Bolsonaro’, diz Lula a revista francesa

0

Em entrevista à revista francesa Paris Match, ex-presidente Lula falou sobre seu mandato à frente do Brasil. Outro assunto abordado foi o julgamento de parcialidade de Sérgio Moro no STF

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que será candidato nas eleições de 2022. A declaração foi publicada em entrevista exclusiva à revista francesa Paris Match nesta quinta-feira (20/5). “Não hesitarei”, afirmou.

“Acho que fui um bom presidente. Criei laços fortes com a Europa, América do Sul, África, Estados Unidos, China, Rússia. Sob meu mandato, o Brasil tornou-se um importante ator no cenário mundial”, argumentou. Lula ressaltou, ainda, que deve se opor a Bolsonaro no pleito do próximo ano e voltou a dizer que foi vítima de uma conspiração para que não fosse eleito em 2018.

“Em meu primeiro depoimento, disse ao juiz (Sérgio) Moro: ‘Você está condenado a me condenar porque a mentira foi longe demais e você não tem como voltar atrás’. Na verdade, essa mentira envolveu um juiz, promotores e a grande mídia do país, que me condenaram antes mesmo de eu ser julgado. O que eles não sabiam é que estou pronto para lutar até o último suspiro para provar que se uniram para me impedir de ir às eleições”, defendeu.

Cenário

Apesar de essa confirmação de Lula da intenção de voltar à presidência desde que a condenação na Lava Jato foi anulada, a agenda de reuniões do político vinha dando indicativos de articulação eleitoral. No início de maio, por exemplo, ele esteve em Brasília por quatro dias e se encontrou com representantes de diferentes legendas do centro e da esquerda. Logo depois, a passagem foi vista como “um sucesso” pelo ex-presidente.

Além disso, ele conta com vantagem em pesquisas recentes de opinião pública. No último dia 12, um levantamento do Instituto Datafolha apontou que o petista aparece na frente do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas intenções de votos para 2022. O ex-presidente também aparece na frente de nomes como Moro e João Dória (PSDB) em um possível segundo turno. A informação repercutiu no Palácio do Planalto. Dois dias depois que ela foi divulgada, Bolsonaro declarou que se Lula for reeleito “nunca mais vai sair”.

anuncio patrocinado