IZABELLA ROCHA LANÇA “GOD BLESS THE CHILD

0

 

Com a companhia da filha Gabriela, cantora lança single, minidoc e realiza live no Mês das Mães

 

 

Em continuidade ao lançamento do álbum “Bella” e em homenagem ao Mês das Mães, a cantora Izabella Rocha preparou um cronograma especial. Sua versão para “God Bless the Child”, de Billie Holiday, será marcada por três ações: chegada do single às plataformas de streaming (18/05); Live no instagram (20/05) e lançamento de minidoc “Na sua trilha” no Youtube (28/05).

Para além de toda admiração que tenho pela Billie, que tanto me inspira e encanta, tive o prazer de dividir os vocais com a minha filha Gabriela Dourado, que também participa do minidoc e vai me acompanhar na live. Literalmente, essa música tem uma batida muito especial, que mexe com os arranjos do meu coração“, afirma izabella. “Eu já vinha acompanhando e adorando essa trajetória da minha mãe no jazz. Fiquei muito feliz quando ela me falou sobre a música e me chamou para participar. Foi muito legal“, completa Gabriela.

Na Live, mãe e filha, acompanhadas do baterista Misael Barros, apresentarão “God Bless the Child” e cantarão outras músicas marcantes da carreira de Izabella. Já “Na sua Trilha”, dirigido por Luciana Martucheli, com edição de Sylvio Lima, destaca o amor à música e a cumplicidade de mãe e filha. “É muito gostoso assistir a Gabriela, dividir este momento artístico com ela, que gera um envolvimento muito especial entre nós. Nas gravações anteriores, era aquela graça com sua voz infantil e afinadinha. Agora, Aos 16 anos, me impressiona com mais segurança e personalidade. Ela vai se tornar mulher e sua voz continuará crescendo. É um privilégio vivenciar sua evolução”, declara-se.

God Bless the Child é um standard do jazz, originalmente gravado nos anos 30 por Billie Holiday. Acompanhada de seu quinteto, Izabella fez uma versão mais moderna, com batida soul, sendo bem fiel à melodia original, mas inovando nos arranjos de metais feito por Renato Vasconcellos. A letra fala de um episódio da vida de Billie. Ao pedir dinheiro à mãe, que não concordava com os rumos que a filha havia decidido seguir. Ouviu como resposta: ‘God bless the child that got his own’ (‘Deus abençoe a criança que tenha o seu próprio dinheiro’)”.

A relação entre as duas me instigou. Meu contexto com a Gabi é outro, pois tem total acolhimento. Mas é preciso entender o contexto da época em que vivia Billie e refletir…Ao contrário da mãe dela, sempre vou estender a mão à minha filha. Mas, em comum, desejamos que nossos filhos encontrem o próprio caminho, conquistem sua autonomia, vivam as próprias buscas e prosperem em suas escolhas“, revela.

Esta é a segunda vez que Izabella tem a parceria da filha em um single. A primeira vez foi no álbum “Gaia”, de 2016, quando Gabriella tinha 11 anos. Cantaram juntas “Mariposa Porã”, também com a participação de Rafael, então o filho caçula de Izabella. “O Rafa se diverte cantando, mas curte mais o mundo dos esportes. Já a Gabi realmente ama música e tem um dom natural para o canto. A Lili (Elis), a caçulinha, gosta de cantar, mas está claro que sua paixão é a dança“, conta a mamãe Bella

O Álbum Bella, que vem sendo descortinado gradualmente, desde 2020, já lançou outras cinco músicas e três minidocs: “O Carcará e a Rosa” (minidoc “Um Novo Voo”), “Three Little Birds”, “Misteriosa Atração” (minidoc “Tirando os Véus”), “Tambor” (minidoc “Pele sobre Pele”) e “Carta para ele”.

 

Um Novo Momento

Conhecida do grande público como uma das fundadoras do Natiruts, Izabella vem trilhando outros caminhos para além do reggae desde 2007, primeiro com o projeto InNatura, e, em seguida, a estreia na carreira solo em 2016, com o álbum Gaia. Atualmente, ela vive o que considera a plenitude da sua estrada musical. “A música sempre me realizou e fui muito feliz em todas essas fases com os trabalhos, as experiências musicais e as vivências que me transformaram e me nutriram de várias formas. Desde Gaia eu já vinha lapidando o meu estilo, somado às minhas experiências como mãe e mulher. Mas hoje, pela primeira vez, sinto que encontrei musicalmente uma maneira muito sincera de me expressar. A realização só cresce dentro de mim“, afirma Bella.

 

 

Apesar dos novos timbres e referências, sobretudo influenciada pela diva Billie Holliday, Izabella não foge de suas origens. Ao contrário, as evidencia e homenageia. No álbum de nove faixas, entre material autoral e versões para canções de Natiruts e InNatura, o repertório visita Bob Marley, Luís Carlinhos, Rogê, Tonho Gebara, João Suplicy, Billie Holiday, standards do jazz e gypsy jazz autoral. Soma-se à delicadeza de sua voz, uma sofisticada e, ao mesmo tempo descontraída presença de palco. A mulher dona de si também traz em si a menina do reggae, conferindo personalidade à performance.

 

O novo álbum conta com arranjos do pianista Renato Vasconcellos e tem como ponto de partida a turnê “Blue Moon”, que Izabella Rocha apresentou ao longo de 2018 e 2019, interpretando canções clássicas que resgatam como notas azuis nascidas em Nova Orleans, com um toque de Reggae, Bossa Nova, Samba e Soul Music. Para apresentação do trabalho, ela se cercou de feras como Dido Mariano (baixo acústico e elétrico), Misael Barros (bateria), Moisés Alves (trompete), Josué (sax), Rodrigo Bezerra (guitarra), Felipe Portilho (Teclados) e Renato Vasconcellos (piano e teclados).

 

“Bella” também conta com as participações especiais de Bruno Medina (saxofone), Márcio Marinho (cavaquinho) – na música “Agora ou nunca”. –, Oswaldo Amorim (baixo), Lourenço Vasconcellos (vibrafone), Leander Motta (bateria) e Paulo André (violão) – em “Belo Amor” –, Kiko Péres (violão) e Ademir Junior (clarineta) – em “Carta pra Ele” –, Juninho Di Souza (guitarra) – em “O Carcará e a Rosa” –, João Suplicy (voz e guitarra)– em “Ansiedade” – e da filha Gabriela Dourado, dividindo os vocais em “Deus abençoe a criança”.

 

CARREIRA

Izabella Rocha foi uma das fundadoras da banda de Reggae Natiruts, uma das principais bandas do Brasil, surgida em 1996. Como backing vocal e cantora, ela gravou cinco discos de estúdio – “Nativus” (1997), “Povo Brasileiro” (1999), “Verbalize” (2001), “Qu4tro” (2002) e “Nossa Missão” (2005) – e fez centenas de shows pelo país.

 

Em 2006 saiu em busca das raízes musicais e, no ano seguinte, criou – ao lado de Bruno Dourado (percussão) e Kiko Péres (guitarrista), também ex-integrantes do Natiruts – o grupo InNatura, com o qual gravou mais três álbuns: o ao vivo “Um Artista Brasileiro” (2007, lançado em DVD), “Bossa Ragga” (2010) e “Innatura 3” (2013).

 

Com a maternidade – ela é mãe de Gabriela, Rafael e Elis –, entrou no contato profundo com a feminina e percebeu sua ligação com a natureza do planeta Terra, verdadeira útero para toda a vida. Esta foi a base de “Gaia”, o primeiro disco solo e autoral, lançado em 2016, celebrando seus 20 anos de carreira. Como letras foram inspiradas pelo sagrado feminino e a mãe natureza.

Em 2020, Izabella Rocha volta com o segundo álbum solo, “Bella”, onde mescla influências do Jazz, Reggae, Soul, Samba Jazz e Bossa Nova, entre versões diversas e músicas inéditas.

 

 

Serviço:

LANÇAMENTO “God Bless The Child”

Plataformas de streaming: a partir de 18/05

Live (Instagram): 20/05, às 20h

Minidoc (Youtube): 28/05, às 19h

 

Canais IZABELLA ROCHA

YouTube: Izabella Rocha

Instagram e Facebook: @IzabellaRochaOficial

Spotify: Izabella Rocha

anuncio patrocinado