Presença online: brasileiros preferem serviços digitais durante a pandemia

0
social media, closeup of hands holding smartphone in cafe, banking online, businessman with mobile internet

Seis em cada dez cidadãos possuem cadastro no portal do governo federal responsável por reunir os serviços

 

 

A pandemia ressignificou a forma como alguns processos da vida eram feitos, levando-os do modelo físico para o meio digital. Um ano depois da eclosão da Covid-19, seis em cada dez brasileiros já preferem utilizar serviços online, por meio de smartphones, do que se deslocar para realizar os mesmos procedimentos. Neste meio, a digitalização dos serviços públicos foi acelerada pela urgência do momento.

De acordo com os dados divulgados pela Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, 97 milhões de pessoas já têm cadastro no portal do governo federal, o gov.br, que reúne todos os órgãos públicos e possibilita o acesso a todos os serviços, como a carteira de motorista digital e o seguro-desemprego. Em 2019, ano da criação do sistema, a adesão não passou de 5% da população geral.

Os acessos, além de impulsionados pelo aumento da demanda de portais e serviços disponíveis digitalmente – na página, estão reunidos 81 portais do governo, com 3.961 serviços, sendo que 62,6% estão totalmente digitalizados e 15,7%, apenas parcialmente digitalizados –, também tiveram a influência da concessão do auxílio-emergencial, já que a Caixa é uma das instituições financeiras presentes no portal. Nos últimos dias, o acesso ao aplicativo Caixa Tem aumentou 1.800%, por conta da nova rodada do benefício.

Os números podem indicar uma mudança de comportamento futura, quando a situação possibilitar o acesso físico aos serviços. Isso porque uma pesquisa realizada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), com 13.200 pessoas, feita entre outubro e dezembro de 2020, mostra que 60% dos brasileiros preferem o atendimento por site, aplicativo ou mensagem de texto de serviços públicos. Apenas 24% escolheram o atendimento presencial.

Entre as razões para a preferência aos serviços digitais, a economia de tempo é a principal para 46% da população escolher a forma online, enquanto 29% preferem não ir a repartições públicas. Os jovens são os que mais usam a internet, com 71% de preferência nas redes. Os mais velhos, no entanto, começam a utilizar o meio digital também, com 41% de adesão.

“A sociedade brasileira está bem adaptada ao mundo digital. É natural que queira ter nas interações com os governos a mesma experiência do consumo online”, diz Morgan Doyle, representante do BID no Brasil.

 

Serviços digitais em geral

O uso de aplicativos e sites aumentou em 2020. Enquanto os serviços públicos aumentaram a procura e a digitalização, os demais setores também registraram altas, como e-commerces e sistemas bancários. Ainda assim, no meio digital e tecnológico, existem planos para que os cidadãos consigam ter mais confiança no momento de acessar suas contas em instituições financeiras, consultar o CPF e realizar compras online. Para isso, especialistas acreditam que a popularização desses processos deve ser fundamental para conquistar a população de vez.

anuncio patrocinado