Covid-19: média móvel de mortes no DF cai pela metade nesta segunda (3/5)

0

Redução foi de 48%, de acordo com o cálculo que analisa a tendência da doença. Para as infecções, a queda foi de 12,3% em relação ao número de 14 dias atrás

 

O Distrito Federal registrou 28 mortes e 829 casos da covid-19 nas últimas 24 horas. A média móvel de infecções está em 983, o que representa queda de 12,3% em relação ao número de 14 dias atrás. Quanto às mortes, em comparação ao mesmo período, o índice é de 33 — diminuição de 48%. Com as ocorrências, a capital acumula 7.883 óbitos e 381.468 infecções pelo novo coronavírus. Desses, 364.540 são pacientes considerados recuperados. Os dados são do boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde do DF (SES), nesta segunda-feira (3/5).

Das mortes notificadas, 20 eram homens e oito eram mulheres. Segundo a SES, deste total, dois tinham entre 30 e 39 anos; cinco entre 40 a 49; dois entre 50 a 59; doze estavam na faixa etária de 60 a 69 anos de idade; cinco tinham entre 70 e 79 e dois, 80 anos ou mais. As comorbidades estavam presentes em 18 vítimas. Foram identificadas doenças cardiovasculares; distúrbios metabólicos; imunossupressão; obesidade; e pneumopatia.

Com relação ao local de residência dos casos, 87,9% são moradores da capital e 7,4% residem em outras unidades da Federação. As maiores incidências da doença foram registradas nas Regiões Administrativas Sobradinho 1, Lago Sul, Plano Piloto e Sudoeste/Octogonal.

Em números absolutos, Ceilândia continua no topo com 42.087 casos, seguida de Plano Piloto (36.294), Taguatinga (30.577), Samambaia (21.961) e Águas Claras (21.148).

Letalidade x mortalidade

A taxa de letalidade do Distrito Federal é de 2,2%, enquanto a mortalidade está em 236,8 por 100 mil habitantes. A maior letalidade por faixa etária está no grupo de 80 ou mais, bem como a maior taxa de mortalidade.

O termo “taxa de mortalidade” é usado para analisar o impacto de uma doença ou condição em toda a população de uma região. Ou seja, relativa à proporção de mortes em relação a todos os casos de pessoas infectadas (diagnosticadas ou não). Já a letalidade avalia o número de óbitos em relação às pessoas que apresentam a doença ativa, e não em relação à população toda, ou seja, mede a porcentagem de pessoas infectadas que morrem.

anuncio patrocinado