Polícia Civil prende chefe do Comboio do Cão, maior facção criminosa do DF

0

Wilian Peres Rodrigues, conhecido como “Wilinha”, estava foragido desde 2019, quando a PCDF deflagrou a operação Rosário, que resultou na prisão de diversos membros do Comboio do Cão

 

Em operação deflagrada pelo Departamento de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Decor), a Polícia Civil do DF prendeu, na manhã desta sexta-feira (30/4), o líder da maior facção criminosa de Brasília, o Comboio do Cão (CDC). Wilian Peres Rodrigues, conhecido como “Wilinha”, foi localizado em Paranhos (MS), divisa com o Paraguai. A ação contou, ainda, com o apoio da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul.

Wilian estava foragido desde 2019, quando a PCDF deflagrou a operação Rosário, que resultou na prisão de diversos membros do Comboio do Cão investigados por crimes de homicídios e organização criminosa. Suspeita-se que os faccionados tenham assassinado mais de 30 pessoas nos últimos anos. À época, Wilinha fugiu do local e, desde então, estava na mira da polícia. Contra ele, há quatro mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça do DF.

Contra Wilian, há quatro mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça do DF
Contra Wilian, há quatro mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça do DF(foto: PCDF/Divulgação)

Segundo a PCDF, o Comboio do Cão atua em toda a capital, no tráfico de drogas e de armas, homicídios, lavagem de dinheiro e outros crimes. Uma característica do grupo é a violência, a forma como os rivais são executados, fazendo uso de pistolas de grosso calibre e última geração, com acessórios que aumentam o poder do fogo, como o “kit rajada” e carregadores estendidos, informou a corporação.

Investigações revelaram que Wilinha passou por algumas unidades da Federação até se estabelecer na fronteira entre Brasil e Paraguai, de onde supostamente enviava drogas e armas e drogas para criminosos do DF.

Prisão

O líder da facção criminosa foi preso em Paranhos (MS), em uma casa. Segundo a Polícia Civil, o criminoso não reagiu à ação dos policiais. Na residência, foi encontrada uma pistola calibre 9mm, com carregador estendido e grande quantidade de munições. Após a prisão, Wilian foi conduzido à cidade de Dourados (MS) e transportado para Brasília pela aeronave da Divisão de Operações Aéreas (DOA), onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Além da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), da Delegacia de Repressão à Corrupção (DRCOR), ambas unidades do Decor, participaram da operação a DIP e o Garras da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul.

Namorada presa

Em fevereiro do ano passado, a Divisão de Repressão a Facções (Difac) prendeu a namorada de Willian. Agentes localizaram a mulher, de 24 anos, em Samambaia Norte. A polícia monitorava a suspeita há um tempo. Ela estava foragida e foi indiciada por integrar facção criminosa

Investigações apontaram que a namorada e Willian eram envolvidos em crimes de tráfico de drogas e homicídios ligados ao interesse da cúpula.

Em agosto do ano passado, a Polícia Civil prendeu 46 membros da facção Comboio do Cão. A organização é investigada por, pelo menos, 24 assassinatos, além de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros delitos marcados pela violência. O grupo atua também no sistema carcerário do DF e estava envolvido em 420 ocorrências registradas em seis anos. A facção disputa o tráfico em quase todo o DF, pratica roubos de veículos e comércio ilegal de armas.

anuncio patrocinado