Autora Chris Sevla diz que literatura virou consolo durante pandemia

0
Processed with VSCO with c1 preset

Benefícios proporcionados pela literatura podem salvar vidas e relacionamentos durante pandemia de Covid-19

Não é novidade para ninguém que os livros são ricos em diversos benefícios sociais, pessoais e acadêmicos, e em um momento que a população precisa cumprir o isolamento social para evitar a propagação da Covid-19, o hábito da leitura se torna ainda mais importante. A escritora Chris Sevla recentemente levou o assunto para suas redes sociais e ressaltou como histórias literárias podem conectar famílias e diminuir a solidão de quem mora sozinho.

“Neste tempo de pandemia, o que a gente viu logo no começo, é que a arte veio como consolo”, afirma a artista, ressaltando que a literatura também se inclui nessa realidade, como abraço, toque e entre outros vínculos que perdemos ao longo desse período pandêmico.

Para as famílias, os livros são bastante importantes para reforçar os laços e vínculos em um momento que o isolamento social está desencadeando vários problemas mentais, emocionais e psíquicos nos cidadãos brasileiros. “A literatura entra nas nossas vidas em via de regra pelos pais, são eles que precisam apresentar os livros para os filhos, só depois que entra a escola. A grande questão talvez seja é que os pais precisam entender que colocar um livro na mão da criança e ir embora pode ser um grande problema; isso quem faz é celular, é aí que entra a dificuldade da obra literária competir com o dispositivo móvel”.

Chris Sevla acredita que muitos responsáveis colocam celulares nas mãos de crianças para ficar quieta e entretida, a mesma atitude não é funcional com os livros, já que eles demandam mais atenção e valor sentimental durante a leitura.

“As obras literárias, quando é lida para uma criança que sabe ou não ler, exigem um compromisso de família onde os responsáveis precisam sentar, mostrar as figuras, contar a história, fazer caras e bocas, narrar várias vezes e de modos diferentes. Esse é um exercício em que o adulto também vira uma criança e reforça os laços familiares”
, afirma.

Já a leitura individual de livros literários em jovens e adultos é um momento de puro enriquecimento pessoal. Sem sair de casa, — uma opção prioritária para a não propagação da Covid-19 —, os livros têm o grande poder de nos teleportar para outros mundos, mentes e realidades, consequentemente nos conectando em monólogos, diálogos e reflexões sabéis e que agregam a vida.

“A leitura de um livro pode ser um momento solitário, mas aquilo que a história causa no leitor nunca vai ser uma experiência solitária, vai ser um exercício de autobenefício e de conhecimento do mundo”, conclui a autora.

Chris Sevla é autora de diversos títulos, entre eles “Como Não me Apaixonar Por Vocꔓ40 Atitudes Para Transformar Seu Coração” e vários outros na qual ela se propõe a transformar a vida dos leitores por meio de reflexões sobre fé, amor, esperança e superação.

Biografia: Chris Sevla é escritora e palestrante. Estreou na antologia Território V (Terracota), ilustrou A História da Arte Pirata (AND Publishing, Londres), e lançou a poesia visual #AMOR (Follow), que pode ser lida de cinco formas diferentes. Seu livro mais recente, Como Não Me Apaixonar Por Você (Skull), foi um dos lançamentos mais aguardados da sua carreira. Cidadã do mundo, com vários livros publicados e textos em revistas conceituadas, ela agora negocia a adaptação cinematográfica de suas obras.

anuncio patrocinado