Polícia Civil prende “avó” de menina torturada e morta no Rio

0

Rosangela Nunes, mãe da madrasta de Ketelen Vitória, de 6 anos, foi acusada por não ter denunciado as agressões e por montar versão do crime

A Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCRJ) prendeu, na noite desta quarta-feira (28/4), a “avó” da menina Ketelen Vitória Oliveira da Rocha, de 6 anos, torturada e morta em Porto Real, Sul Fluminense. Rosangela Nunes é mãe de Brena Luane Barbosa Nunes, madrasta da criança, e foi acusada por não ter denunciado as agressões e por montar versão do crime.

Segundo a corporação, Rosangela não resistiu à prisão e foi encaminhada à Unidade de Polícia Administrativa Judiciária (UPAJ).

Mais cedo, o Ministério Público denunciou à Justiça a mãe, Gilmara Oliveira de Farias, a madrasta Brena Luane e Rosangela pelo homicídio triplamente qualificado e tortura da menina.

A criança morreu no Hospital Municipal São Francisco de Assis, por agressões da mãe e madrasta, no sábado (24/4).

De acordo com a denúncia, entre os dias 16 e 18 de abril, Gilmara e Brena espancaram a criança com socos, chutes, arremessos contra a parede, pisões, chicotadas e a atiraram em um barranco de aproximadamente 7 metros de altura.

No dia 19 de abril, antes de chamar a ajuda do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) porque a menina estava agonizando, combinaram a versão de que a criança teria se machucado numa estaca. O argumento foi desmontado no hospital, diante da gravidade das lesões, como sangramento no crânio.

Rosangela, dona do imóvel onde ocorreram as agressões, é alvo de investigação por não ter denunciado as agressões, quando também cuidava da menor, e por ter combinado versão para esconder o crime junto com a mãe e madrasta.

anuncio patrocinado