Denúncias de violência contra idosos crescem 81% durante a pandemia

0
Care Worker Mistreating Senior Woman At Home

Foram 87.907 denúncias registradas pelo Disque 100, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, em 2020

 

O número de denúncias de violência contra idosos recebidas pelo Disque 100, canal de atendimento do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH), nunca foi tão alto. Em 2020, foram 87.907 registros, crescimento de 81% em consideração a 2019 (48.446). É o maior volume de notificações já computadas no país, segundo a série histórica, iniciada em 2011.

Em um ano pandêmico, com diversas restrições econômicas, o confinamento faz com que incontáveis famílias convivam no mesmo ambiente, quase sem interrupções. Diante dessas condições, muitos abusos e violências são cometidos – quase metade (48%) é praticada pelos próprios filhos. Os netos aparecem logo depois, responsáveis por 6% das violências denunciadas.

Entre as unidades da Federação com mais notificações, o Rio de Janeiro é o líder: são 76,4 denúncias feitas a cada 100 mil habitantes. O Distrito Federal vem logo depois, com 66,2. Os números foram levantados pelo na base de dados do MMFDH e também por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

 

Segundo a presidente do departamento de Gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Vania Heredia, a maior parte desse tipo de violência ocorre em busca de poder sobre os idosos, que em muitos lares brasileiros são a única fonte de renda de uma família. Mais de 13 milhões de moradias no país são mantidas apenas com a renda de idosos, segundo o IBGE.

Denúncias de violências contra idosos em 2020

 

anuncio patrocinado