Acusado de estuprar quatro crianças no DF é preso pela Polícia Civil

0

O homem trabalhava como eletricista e foi usando da profissão que ele conseguiu fazer, ao menos, duas vítimas, no Gama e no Riacho Fundo. Segundo as investigações, o acusado prestou serviço às mães das crianças e, para abusá-las, usou a desculpa de que o material tinha acabado e era preciso comprar mais. Sozinho com as crianças, ele as abusava e fotografava

 

Policiais civis da 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) cumpriram, na manhã desta quinta-feira (1º/4), mandado de prisão preventiva contra um homem de 56 anos investigado pelo crime de estupro de vulnerável. O acusado chegou a ser preso em maio do ano passado, mas foi solto em audiência de custódia.

O autor responde a quatro inquéritos contra o mesmo crime. Ao Correio, o delegado à frente das investigações, Daniel Azevedo Monteiro, afirmou que os abusos ocorreram nas cidades de Samambaia, Gama e Riacho Fundo e tinham como vítimas crianças entre 5 e 6 anos (veja o vídeo do delegado explicando o caso). “Nos casos de Samambaia, as crianças eram vizinhas e moravam com a mãe e a avó, que eram deficientes mentais. Então, o autor aproveitou-se dessa situação para cometer os abusos. Ele chegava a oferecer, ainda, doces e guloseimas para atraí-las”, detalhou.

O homem trabalhava como eletricista e foi usando da profissão que ele conseguiu fazer outras duas vítimas, no Gama e no Riacho Fundo. De acordo com o delegado, nesses dois casos, o acusado prestou serviço às mães das crianças e, para abusá-las, usou a desculpa de que o material tinha acabado e era preciso comprar mais. De maneira inocente, as clientes saiam de casa, momento em que ele se aproveitava da situação. “Em algum dos casos, ele passava a mão nas partes íntimas das menores e chegou a tirar fotos. Os conteúdos foram apreendidos pela polícia ainda em maio do ano passado”, afirmou Daniel Azevedo.

Na manhã desta quinta-feira, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu o homem em Águas Lindas de Goiás, local onde morava. Ele foi conduzido à 32ª DP e, em depoimento, negou os fatos. Contudo, diante das provas colhidas, o rapaz foi preso e conduzido à carceragem da PCDF.

anuncio patrocinado