IZABELLA ROCHA LANÇA “PELE SOBRE PELE”

0
 

Minidoc mostra relação da cantora com a música “Tambor”, que faz parte do álbum “Bella”

A cantora Izabella Rocha lança, na sexta 12 de março, às 18 horas, o minidoc “Pele sobre Pele”, dando continuidade à estratégia de apresentação do “Álbum Bella”. A peça audiovisual de 06min30s, dirigida por Luciana Martuchelli, com fotografia e montagem de Sylvio Lima, acompanha o single Tambor, lançado em janeiro nas plataformas de streaming de todo o mundo, e aborda o caso de amor de Bella e a construção de sua versão para a música, marcada por uma pegada jazzy.

Ouvi ‘Tambor’, música de Luis Carlinhos, Rogê e Tonho Gebara e me apaixonei. Na minha segunda banda, InNatura, no álbum ‘Um Artista Brasileiro’, gravei Tambor pela primeira vez. Ali eu já percebi que ela insinuava uma pegada mais jazzística, e foi a busca dessa sonoridade que trabalhei no álbum Bella, com arranjos feitos pelo meu quarteto, na época da turnê Blue Moon, que desaguou no Bella. É uma música deliciosa de cantar, de ouvir e cantar junto, que tem uma temática romântica, o que eu particularmente, adoro. Acredito que ‘Tambor’ representa bem a identidade do meu som atual: um jazz mais tropical ou o ‘jazz e afins’, como costumo dizer“.

O minidoc foi filmado na capital e teve participação especial de Luis Carlinhos e Rogê Brasil, com menção especial ao terceiro compositor Tonho Gebara, ex-guitarrista do Natiruts, falecido em 2004.

Além de “Pele sobre Pele” (Tambor), a artista lançou outros dois minidocs relacionados a outras músicas do “Bella”: “Um Novo Voo” (O Carcará e a Rosa) e “Tirando os Véus” (Misteriosa Atração). 

Um Novo Momento

Conhecida do grande público como uma das fundadoras do Natiruts, Izabella vem trilhando outros caminhos para além do reggae desde 2007, primeiro com o projeto InNatura, e, em seguida, sua estreia na carreira solo em 2016, com o álbum Gaia. Atualmente, ela vive o que considera a plenitude da sua estrada musical. “A música sempre me realizou e fui muito feliz em todas essas fases com os trabalhos, as experiências musicais e as vivências que me transformaram e me nutriram de várias formas. Desde Gaia eu já vinha lapidando o meu estilo, somado às minhas experiências como mãe e mulher. Mas hoje, pela primeira vez, sinto que encontrei musicalmente uma maneira muito sincera de me expressar. A realização só cresce dentro de mim“, afirma Bella.

Apesar dos novos timbres e referências, sobretudo influenciada pela diva Billie Holliday, Izabella não foge de suas origens. Ao contrário, as evidencia e homenageia. No álbum de nove faixas, entre material autoral e versões para canções de Natiruts e InNatura, o repertório visita Bob Marley, Luís Carlinhos, Rogê, Tonho Gebara, João Suplicy, Billie Holiday, standards do jazz e gypsy jazz autoral. Soma-se à delicadeza de sua voz, uma sofisticada e, ao mesmo tempo descontraída presença de palco. A mulher dona de si também traz em si a menina do reggae, conferindo personalidade à performance e segurança para cantar, além do português, em inglês, francês e espanhol.

 

O novo álbum conta com arranjos do pianista Renato Vasconcellos e tem como ponto de partida o show “Blue Moon”, que Izabella Rocha apresentou ao longo de 2018 e 2019, interpretando canções clássicas que resgatam como notas azuis nascidas em Nova Orleans, com um toque de Reggae, Bossa Nova, Samba e Soul Music. Para apresentação do trabalho, ela se cercou de feras como Dido Mariano (baixo acústico e elétrico), Misael Barros (bateria), Moisés Alves (trompete), Joshua (sax), Rodrigo Bezerra (guitarra), Felipe Portilho (Teclados) e Renato Vasconcellos (piano e teclados).

“Bella” também conta com as participações especiais de Bruno Medina (saxofone), Márcio Marinho (cavaquinho) – na música “Agora ou nunca”. –, Oswaldo Amorim (baixo), Lourenço Vasconcellos (vibrafone), Leander Motta (bateria) e Paulo André (violão) – em “Belo Amor” –, Kiko Péres (violão) e Ademir Junior (clarineta) – em “Carta pra Ele” –, Juninho Di Souza (guitarra) – em “O Carcará e a Rosa” –, João Suplicy (voz e guitarra)– em “Ansiedade” – e da filha Gabriela Dourado, dividindo os vocais em “Deus abençoe a criança”.

 

 

 

CARREIRA

Izabella Rocha foi uma das fundadoras da banda de Reggae Natiruts, uma das principais bandas do Brasil, surgida em 1996. Como backing vocal e cantora, ela gravou cinco discos de estúdio – “Nativus” (1997), “Povo Brasileiro” (1999), “Verbalize” (2001), “Qu4tro” (2002) e “Nossa Missão” (2005) – e fez centenas de shows pelo país.

Em 2006 saiu em busca das raízes musicais e, no ano seguinte, criou – ao lado de Bruno Dourado (percussão) e Kiko Péres (guitarrista), também ex-integrantes do Natiruts – o grupo InNatura, com o qual gravou mais três álbuns: o ao vivo “Um Artista Brasileiro” (2007, lançado em DVD), “Bossa Ragga” (2010) e “Innatura 3” (2013).

Com a maternidade – ela é mãe de Gabriela, Rafael e Elis –, entrou no contato profundo com a feminina e percebeu sua ligação com a natureza do planeta Terra, verdadeira útero para toda a vida. Esta foi a base de “Gaia”, o primeiro disco solo e autoral, lançado em 2016, celebrando seus 20 anos de carreira. Como letras foram inspiradas pelo sagrado feminino e a mãe natureza.

Em 2020, Izabella Rocha volta com o segundo álbum solo, “Bella”, onde mescla influências do Jazz, Reggae, Soul, Samba Jazz e Bossa Nova, entre versões diversas e músicas inéditas.

Serviço:

Lançamento da cantora Izabella Rocha

single “Tambor”

Álbum Bella

Plataformas e streaming e lojas digitais

Canais IZABELLA ROCHA

anuncio patrocinado