Dom Orani Tempesta  recebe o Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos  e integrantes da CCIR

0

 

Seguindo a máxima – Unidos somos mais fortes, base para construção de uma sociedade justa para todos. O interlocutor da CCIR, Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos, acompanhado de Tânia Jandira (umbadista e psicóloga) e Adriana Odara Martins (candomblecista), que fazem o acompanhamento direto com as vítimas que sofreram intolerância religiosa, estiveram com o Cardeal Orani João Tempesta.

Recebido na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, na Glória. A reunião girou em torno de ações que podem ser incorporadas no combate da intolerância religiosa, onde mesmo com o caos de uma pandemia, proferir a fé sofre perseguições.

“É preciso unir forças, para restabelecer a paz, contem comigo para o que for necessário”, alegou Dom Orani.

O Babalawô entregou ao Cardeal, um relatório com dados das ocorrências e resoluções dos casos desse ano. Assim como a intenção do Curso de Pós Graduação – Estudos Sobre Pluralidade e Intolerância Religiosa, a proposta é uma realização do CEAP – Centro de Articulação de Populações Marginalizadas e CCIR – Comissão de Combate à Intolerância Religiosa),

É preciso intervenções de todas as esperas no combate à descriminação. Somente com educação, campanhas e orientação, será possível frear a intolerância religiosa, que continua fazendo vítimas, só nesse ano, a CCIR recebeu 9 casos, sendo 8 deles direcionados aos cultos afros.

“Muito importante esse diálogo, esse encontro serve para que possamos trabalhar juntos contra a intolerância religiosa, tem sido muito complicado nesses últimos anos, o impacto é grande, há um desalinhamento completo, principalmente, para os adeptos das religiões de matriz africana, temos muito trabalho pela frente”, sentencia o Babalawô Ivanir dos Santos.

A CCIR, criada em 2008, tem em seu cerne diversos adeptos religiosos, dentre representantes do candomblé, umbanda, bases evangélicas, católicos, budistas, muçulmanos, judeus, wiccanos, hare krishnas, ciganos, mórmons e outros segmentos, que caminham em prol da liberdade religiosa no Brasil e pelo fim da intolerância. Realiza evento inter-religioso considerado o mais significativo na história do Brasil. Recebe em torno de 100 mil pessoas, na caminhada que realiza pelo CEAP, em Copacabana, em prol da pluralidade, humanidades e liberdade religiosa.

anuncio patrocinado