Curso para mulheres ensina a empreender em tempos de crise

0

Formação é gratuita com entrega de certificados no final. As aulas serão de 15 a 19 de março de forma remota

 

 

O curso Empreenda em tempos de crise já passou por diversas regiões do Brasil em 2020 e inovou ao apresentar uma abordagem de metodologia criada especificamente para que as capacitações ocorressem do jeito que o cenário pede: a distância. Agora, por meio de parceria firmada entre Aliança Empreendedora, Mastercard e o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Empreendedorismo (Semp), a capacitação chega para apoiar, alavancar e facilitar o processo de retomada dos negócios das microempresas lideradas pelas mulheres da capital.

Com 250 vagas disponíveis para mulheres empreendedoras, o curso será realizado entre os dias 15 e 19 de março, via WhatsApp, sendo 50 vagas para cada uma das seguintes regiões administrativas: Taguatinga, Santa Maria, Samambaia e Gama, e mais 50 para as demais regiões do Distrito Federal.

Para participar basta a mulher já ter seu empreendimento ou trabalhar como autônoma, em qualquer segmento, e se inscrever até o dia 11 deste mês. Em cada dia da semana será trabalhado um tema, como inovação, finanças e vendas online. Os conteúdos são disponibilizados por meio de fotos e vídeos, garantindo os momentos de abertura para trocas entre os participantes e envio de dúvidas e comentários.

“Estamos falando de cerca de 121 mil donas de negócios na capital, o que, em 2020, representou 36% dos empreendimentos do DF. Falar de retomada da economia, é ter um olhar atento e individual para cada setor”Mauro da Mata, secretário de Empreendedorismo

A formação será realizada pela assessora de negócios da equipe da Aliança Empreendedora de São Paulo, Veronica Maia. Administradora de formação e certificada em PMD-Pro de Gestão de Projetos Sociais, ela tem experiência com educação empreendedora desde 2015, capacitando e orientando empreendedores presencialmente e online.

Para o secretário de Empreendedorismo, Mauro da Mata, essas parcerias têm fundamental importância nesse processo de retomada da economia local. “Estamos falando de cerca de 121 mil donas de negócios na capital, o que, em 2020, representou 36% dos empreendimentos do DF. Falar de retomada da economia, é ter um olhar atento e individual para cada setor. Grandes, pequenos, micro, empreendedorismo feminino, agronegócio, cada um tem as suas particularidades e suas necessidades específicas. Nós, com outras pastas do Governo do DF, estamos desenvolvendo projetos e parcerias que dão, para cada um desses setores, o devido tratamento e ajudamos, de forma efetiva, a retomada da economia, gerando mais possibilidades de negócios e; consequentemente, mais emprego e renda para a nossa capital”, disse o secretário.

“Nós, da Secretaria da Mulher, temos como foco intensificar a participação feminina no mercado de trabalho, incentivar o engajamento delas em atividades empreendedoras, bem como sua ascensão nas respectivas carreiras. ”Ericka Filippelli, secretária da Mulher

Segundo a coordenadora de Projetos da Aliança Empreendedora, Camila Reis, o método oferece benefícios diversos para quem tem seu pequeno negócio. “Geralmente, a falta de tempo se torna um obstáculo na hora de pensar em se capacitar, especialmente, para as mulheres que têm muitas demandas. Dessa forma, a empreendedora tem acesso aos conteúdos de casa ou do próprio negócio. Coloca a mão na massa participando de desafios e interagindo sem mudar muito sua rotina. E mesmo não sendo presencial, a formação é bem dinâmica, a assessora acompanha a turma de perto durante toda a semana”, comentou.

“Nós, da Secretaria da Mulher, temos como foco intensificar a participação feminina no mercado de trabalho, incentivar o engajamento delas em atividades empreendedoras, bem como sua ascensão nas respectivas carreiras. Entendemos que, quando as mulheres conquistam sua autonomia econômica, isso assegura a possibilidade de elas fazerem escolhas no futuro, inclusive, a de não serem reféns de situações de violência doméstica, por exemplo”, afirmou a secretária da Mulher, Ericka Filippelli.

De acordo com ela, a secretaria investe em programas de capacitação como o Oportunidade Mulher, que oferece oficinas semanais, gratuitos e on-line, e, também, o Mulheres Hipercriativas, em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos. “O projeto visa capacitar 4 mil mulheres em todo DF e as inscrições dos cursos virtuais, também gratuitos, na área de economia criativa já estão abertos. Mesmo durante a pandemia, essas mulheres poderão se capacitar em casa, de forma segura, e desenvolverem seus talentos e sua criatividade em um mercado de trabalho extremamente promissor de forma segura e sem custos”, explica.

Além disso, ao final da capacitação as participantes ganham seus certificados e podem concorrer a uma assessoria individual para tratar assuntos específicos do seu negócio. Os temas trabalhados nessa semana especial vão desde vendas e capital de emergência até relacionamento com fornecedores, crédito e posicionamento on-line. “É uma jornada pensada para ajudar a empreendedora a ver as possibilidades nesse novo momento”, explicou Camila.

Segundo o subsecretário de Fomento ao Empreendedorismo, Danillo Ferreira, “sabemos que as dificuldades são enormes para as mulheres que empreendem. A maioria delas empreende por necessidade e, infelizmente, a pandemia tirou o emprego de milhares delas, forçando-as assim, a criarem saídas criativas para alimentar suas famílias”.

Até o momento, o curso Empreenda em tempos de crise, via WhatsApp, atendeu mais de 700 microempreendedores em estados como Paraná, São Paulo, Pará e Bahia. Para se inscrever na edição do Distrito Federal, basta preencher um formulário. Inscrição para o Curso Empreenda em Tempos de Crise.

*Com informações da Secretaria de Empreendedorismo e Secretaria da Mulher

anuncio patrocinado