MG confirma 1ª morte de criança por síndrome associada à covid-19

0

Vítima de 9 anos é da cidade de Juiz de Fora, a 280 km de Belo Horizonte; Estado tem ao menos 77 pacientes com a síndrome

 

Minas Gerais confirmou, nesta terça-feira (2), a primeira morte no Estado causada pela síndrome inflamatória pediátrica rara possivelmente associada à covid-19.

A informação é da SES (Secretaria de Estado de Saúde). A vítima é uma criança de 9 anos, então moradora de Juiz de Fora, a 280 km de Belo Horizonte, e com dianóstico positivo para o coronavírus.

Segundo o Governo Estadual, o óbito aconteceu 26 de outubro de 2020, mas a causa só foi confirmada agora, após “amplo estudo do caso com encaminhamento de amostras clínicas para pesquisa de várias etiologias pelo Laboratório Central (Lacen) da Fundação Ezequiel Dias (Funed) e pelo Laboratório de Referência Nacional (LRN) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz RJ)”.

O paciente, que não teve o sexo revelado, começou a passar mal, com dores de cabeça e febre, em 21 de outubro de 2020. Ele foi internado no dia 24, transferido para uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) no dia 25, morrendo no dia seguinte.

Ainda de acordo com a SES, uma equipe do Ministério da Saúde confirmou o diagnóstico. “Todos os exames descartaram outras etiologias infecciosas”, explicou a nota do Governo de Minas.

A síndrome

Os primeiros relatos da chamada SIM-P (Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica) surgiram em abril de 2020. Trata-se de uma inflamação grave em múltiplos órgãos, como coração e pulmão. Os sintomas incluem febre, insufuciência respiratória, disfunção cardíaca, dor abdominal, manchas na pele, diarreia e vômito. Especialistas acreditam que ela esteja relacionada à infecção por covid-19.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, até o momento, Minas tem 77 casos confirmados da síndrome. Em todo o Brasil são 646, sendo que 41 pacientes morreram desde o dia 1º de abril de 2020.

anuncio patrocinado