Moto Clube tortura supostos traidores e Roberto Cabrini investiga as denúncias envolvendo o moto clube Abutres

0

O jornalista conversa com um dos integrantes que protagonizou cenas de violência e hoje sofre ameaças de morte

 

Os Abutres, um dos maiores moto clubes do Brasil, são alvo de uma investigação após um dos integrantes da irmandade protagonizar cenas de tortura e violência contra um jovem. O jornalista Roberto Cabrini investiga o que está por trás das imagens que circularam nas redes socais e localizou o agressor, que hoje é ex-integrante do grupo e vive escondido, com medo das ameaças de morte.

A Polícia Civil informou na tarde desta última sexta-feira (19) que vai indiciar integrantes de um motoclube de São José dos Campos (SP) por tortura, associação criminosa e cárcere privado. Eles filmaram uma sessão de espancamento feita por um membro a outro com uma barra de ferro e postaram em redes sociais e aplicativos de mensagens. As agressões teriam acontecido por uma suposta traição.

Segundo a polícia, o caso foi registrado no plantão policial do 3º DP na madrugada de terça-feira (16), quando um grupo de motociclista do mesmo motoclube, mas da cidade de São Paulo, procurou os policiais para denunciar a tortura de um de seus companheiros por parte de membros do motoclube de São José.

A vítima estava acompanhada deles e, de acordo com o boletim de ocorrência, apresentava fortes dores no corpo e na cabeça, causadas por inúmeros golpes com barra de ferro. Ela foi encaminhada ao Pronto Socorro do Parque Industrial, onde recebeu atendimento médico.

Após dois dias de investigação, a polícia identificou que a ação foi gravada pelos agressores e divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens.

Em um dos registros é possível ver um homem com a barra de ferro em mãos, desferindo golpes contra a vítima. Um deles diz que a vítima traiu o grupo ao revelar informações de uma das reuniões do motoclube. Depois, ele pede que o torturado retire a camisa e os óculos, passando a desferir golpes com a barra de ferro por todo o seu corpo.

“Traidor paga assim, ó. Paga assim!”, dizia o criminoso enquanto batia na vítima com uma barra de ferro.

Em outro vídeo, a vitima aparece tremendo e sem camisa, sendo obrigada a pedir desculpas aos torturadores, que gravavam a cena. Nele, também é possível escutar o criminoso dizendo que o “pegaria novamente na rua”. O agressor afirma que a vítima traiu os diretores regionais contando detalhes de uma reunião interna para a direção nacional do motoclube.

Por meio das imagens, os policiais conseguiram identificar o torturador, como sendo um homem de 47 anos identificado como Chileno, morador de São José dos Campos que atuava como diretor da associação de motociclistas na cidade.

O agressor foi expulso do motoclube, mas divulgou um vídeo no qual diz que este tipo de punição a integrantes é comum e está prevista no estatuto dos Abutres. Além disso, a polícia também está tentando identificar outras quatro pessoas que também aparecem nas cenas.

Em comunicado oficial, divulgado em um vídeo na internet, os grupo de motociclismo Abutres repudiou as agressões e afirmou que este tipo de atitude não condiz com as diretrizes da diretoria.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que o caso é investigado pela Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de São José dos Campos. As imagens são analisadas e a equipe faz diligências para identificar outros envolvidos.

Confira o vídeo na integra e a reportagem do DOMINGO EXPETACULAR abaixo:

 

 

anuncio patrocinado