Russomanno promete Secretaria da Mulher só com servidoras, sem homens

0

“Mulher é família, mulher cuida da família”, disse o candidato a prefeito de São Paulo em reunião plenária do Republicanos neste domingo

 

São Paulo – Em reunião plenária do Republicanos, o candidato a prefeito de São Paulo pelo partido, Celso Russomanno, prometeu, caso eleito, criar a Secretaria da Mulher, composta só por servidoras, sem homens. O encontro, realizado neste domingo (1º/11), na Casa de Portugal, no bairro da Liberdade, prestou homenagens a Marcos de Alcântara, presidente municipal da sigla, que morreu no último dia 25, aos 44 anos, em decorrência de um câncer.

Na ocasião, a sigla também anunciou que Cristiane, esposa de Marcos de Alcântara, assumirá a presidência do partido em São Paulo, assim que acabar o atual mandato. No momento, quem ocupa interinamente o cargo é vice Robson Tuma.

“Nós vamos ter a Secretaria da Mulher, viu, Cris, para cuidar das mulheres e cuidar com carinho, porque não é possível que nós não tenhamos políticas públicas para mulheres, especificamente para a mulheres, que são a maioria, de acordo com as estatísticas”, disse. “Mulher é família, mulher cuida da família, é isso mesmo”, afirmou o candidato, concordando com manifestação de uma das apoiadoras.

Outras propostas

Em seu discurso, Russomanno defendeu a volta às aulas na cidade de São Paulo e falou de propostas de sua campanha, como um mutirão para reduzir as filas para exames e cirurgias no sistema público, desconto no IPTU para quem tiver calçadas verdes e o parcelamento do imposto para quem não conseguiu realizar o pagamento devido à pandemia.

Ao defender a volta às aulas, o candidato também criticou a gestão do atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), líder nas pesquisas de intenção de votos, e do governador João Doria.

“É um absurdo como está sendo mal gerida a questão da Covid-19. Isso é metade da administração Bruno e metade da adminstração Doria, é a administração ‘BrunoDoria’”, disse Russomanno.

Em queda nas pesquisas de intenção de votos, Russomanno ocupa o segundo lugar. De acordo com o Ibope, o candidato caiu de 25% para 20% e tem a vaga para o segundo turno ameaçada por Guilherme Boulos (PSol), que foi de 10% para 13%. A margem de erro das pesquisas é de três pontos percentuais.

A aposta de Russomanno para disputar o segundo turno com Covas é o apoio do presidente Jair Bolsonaro, que fará gravações para o seu programa eleitoral. Em outra frente, a campanha do candidato tem se dedicado a atacar Boulos.

anuncio patrocinado