Já é seguro planejar gravidez? Especialistas comentam sobre o tema!

0

Diversos estudos têm sido feitos em relação aos malefícios que o coronavírus pode causar à saúde do bebê ou da mãe.

Mas as dúvidas ainda são muitas. Sendo assim, boa parte das mulheres prefere adiar o sonho de maternidade para um período em que tudo esteja mais estável – mesmo sem a vacina, as rotinas têm voltado ao normal, aos poucos, dentro do “novo normal” – ou ainda pós-pandemia, quando se tenha realmente uma vacina sendo usada no combate à doença. Já outras optam por ter um bebê por agora mesmo, mas tomando todos os cuidados  necessários que se pode ter dentro do cenário atual.

Segundo o Dr. Paulo Gallo, diretor-médico do Vida – Centro Fertilidade e especialista em reprodução humana assistida, “ao contrário do que se temia, a doença não se mostrou pior nas gestantes do que nas mulheres não grávidas. As maiorias das doenças virais, como a H1N1 e as pneumonias, tendem a apresentar gravidade maior nas grávidas por causa da baixa imunidade natural que ocorre durante a gestação. A mulher que pegou coronavírus corre o mesmo risco de ser intubada ou morrer estando grávida ou não”.

Para o especialista, “qualquer mulher que seja infectada por uma virose durante a gestação tem risco aumentado de parto prematuro. O que é um ponto a se pensar.”. Dr Paulo ainda ressalta que a infecção por Covid-19 da mãe não apresentou, até o momento, risco para o bebê que está em formação.

Dr. Paulo Gallo

Diretor-médico e especialista em Reprodução Humana Assistida.

Dr. Paulo Gallo

  • Graduação em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Título de Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (TEGO) pela Febrasgo
  • Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Mestrado em Ginecologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Professor assistente da disciplina de Ginecologia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro
  • Professor da Pós-Graduação em Endoscopia Ginecológica da Universidade Suprema/ Instituto Crispi de Cirurgias Minimamente Invasivas
  • Especialista em Reprodução Humana pela FEBRASGO/AMB
  • Membro da Comissão Nacional Especializada em Reprodução Humana da FEBRASGO
  • Chefe do Setor de Reprodução Humana do Hospital Universitário da UERJ
  • 1º Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana
  • Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/2143875393502787
  • CRM: 52.42276-5

 

Dra. Maria Cecília Erthal

Diretora-médica e especialista em Reprodução Humana Assistida.

Dra. Maria Cecília Erthal

  • Graduação em Medicina pela Universidade Gama Filho
  • Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro
  • Especialista em Ginecologia e Obstetrícia (TEGO) pela Febrasgo
  • Especialista em vídeoendoscopia ginecológica (vídeo-histerospia e vídeolaparoscopia)
  • Delegada Regional da seção Rio de Janeiro da Sociedade de Reprodução Humana
  • Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5254833734931340
  • CRM: 52.40866-0
anuncio patrocinado