Flamengo. O clube mais odiado. E invejado do Brasil

0

O presidente do Atlético  vai pedir o rebaixamento. FPF o vê como pivô de ‘articulação’ arrogante. Clubes e CBF querem isolá-lo. Landim não mudará filosofia

 

São Paulo, Brasil

“A lei vale para todos.

“O Flamengo se utilizou da Justiça comum para descumprir o protocolo da CBF e desrespeitar todos os outros 19 clubes da Série A, em mais um exemplo de soberba. Isso é passível de banimento.

“Tem de ser rebaixado automaticamente.

“O Atlético vai entrar com um pedido à Procuradoria do STJD para a exclusão do Flamengo do Brasileiro. Deve ser realmente banido do campeonato.

“O Flamengo acha que é melhor que todo mundo.

“Ele é apenas mais um clube que participa do Campeonato Brasileiro. Os 19 clubes estão alinhados, ao meu sentir.

“Se o Flamengo quiser ele faz o campeonato dele sozinho. E nós fazemos o nosso sem o Flamengo.

“Não vai fazer falta nenhuma.

“O campeonato vai prosseguir. Só não sabemos se com ou sem o Flamengo. Temos acompanhado as dificuldades da CBF na organização do Brasileiro num momento tão grave, tão difícil.

“Era hora de todos darem as mãos para ajudar a confederação e o futebol brasileiro. Mas o Flamengo quer tomar o próprio caminho, se acha o melhor e se acha independente. Tem de pagar pelos seu erros.”

A indignação assumida é do presidente do Atlético Mineiro, Sérgio Sette Camara.

Há enorme revolta de vários clubes que disputam a Série A com o Flamengo.

A raiva já começou quando o clube forçou, sozinho, a volta do futebol no Brasil, em plena pandemia do coronavírus.

Para isso, foi buscar ajuda no governo federal.

Depois, o fechamento de patrocínio master com o Banco de Brasília.

Despertou tensão pelo injusto acesso ao dinheiro de um banco estatal, quando as demais equipes seguem com enorme dificuldade com patrocinadores.

Flamengo fecha com,patrocinador master estatal. Em plena pandemia e recessão

Flamengo fecha com,patrocinador master estatal. Em plena pandemia e recessão

Flamengo

O Flamengo também conseguiu mudar, para seu proveito o direito de transmissão do mandante, no Brasil.

Depois, articulou, rompendo um acordo com os demais clubes, a tentativa de volta do público nos estádios em outubro.

As demais equipes que disputam o Brasileiro haviam se compromissado a buscar o retorno em novembro, no início do segundo turno.

A gota d’água foi a Justiça Comum quase cancelar o jogo de ontem contra o Palmeiras.

“Causa repulsa a antiga e retrógrada prática do uso de um sindicato para defender interesses individuais e casuísticos.

A acusação formal foi da Federação Paulista de Futebol, em nota oficial.

A estocada está no fato de o Sindeclubes, sindicato de funcionários de futebol do Rio, entrar na Justiça Comum pedindo a suspensão da partida de ontem, contra o Palmeiras. Como o Flamengo queria, por ter um surto de covid.

O Sindeclubes é presidido por um funcionário do Flamengo, José Pinheiro dos Santos.

“É obrigação de todos respeitar a vontade da grande maioria dos clubes. Assim, a FPF endossa e apoia a postura da Sociedade Esportiva Palmeiras, de todos os demais clubes e da CBF diante desta articulação arrogante, que apenas prejudica o futebol”, seguiu a nota da Federação Paulista de Futebol.

Sérgio Sette Camara promete protocolar exigência de rebaixamento do Flamengo

Sérgio Sette Camara promete protocolar exigência de rebaixamento do Flamengo

Atlético Mineiro

A CBF convocou uma reunião no sábado, para definir quando os clubes queriam a volta do público no estádio. A ideia era a união. E evitar a manobra do Flamengo, junto ao governo carioca, para as torcidas voltarem apenas no Rio de Janeiro.

“Ou será no país todo ou em nenhum estado”, desabafou o presidente da CBF, Rogério Caboclo.

O Flamengo foi o único clube a não participar da reunião virtual. Alegou não ter sido convidado. A CBF provou que havia convidado todos os clubes, inclusive o campeão brasileiro e da Libertadores.

Por trás dessas desavenças todas está o presidente Rodolfo Landim.

Vindo do mercado financeiro, ex-braço direito de Eike Batista, Landim é acusado por outros presidentes de clubes de não ter espírito corporativo.

Faz o que for melhor apenas para o Flamengo.

Inclusive rompendo acordos já estabelecidos.

Por isso, a reação.

Os demais clubes decidiram isolar o clube da Gávea.

Flamengo conseguiu mudar a legislação da transmissão de futebol no Brasil

Flamengo conseguiu mudar a legislação da transmissão de futebol no Brasil

Flamengo

O presidente do Atlético Mineiro foi mais radical, prometendo pedir a exclusão e rebaixamento por ter procurado a Justiça Comum para não jogar contra o Palmeiras.

Porém, o pior ataque veio do ex-deputado estadual de Minas Gerais, Iran Barbosa.

“O Flamengo é realmente um clube em outro patamar. Bancado uma vida inteira com patrocínios estatais, títulos duvidosos e até 7 pênaltis em sete jogos seguidos na luta contra o rebaixamento.

“Gente, desculpa, mas a verdade é que o Flamengo tem uma história tão nefasta que só falta os caras queimarem crianças até a morte em um incêndio irresponsável”, escreveu no seu twitter, se referindo à terrível morte de dez garotos no dormitório do Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em fevereiro de 2019.

O Flamengo promete processar o deputado.

Quanto aos outros clubes, Federação Paulista, CBF, a postura será a de sempre.

Procurar o melhor para o clube.

E só.

Esta é a filosofia de Rodolfo Landim.

Landim conseguiu acesso ao presidente da República. Força política em Brasília

Landim conseguiu acesso ao presidente da República. Força política em Brasília

Divulgação

Campeão da Libertadores, do Brasileiro, da Recopa Sul-Americana, Supercopa do Brasil, bicampeão carioca.

Acesso direto ao presidente do Brasil.

Presidente do clube com 45 milhões de torcedores…

anuncio patrocinado