Coletivo homenageia vítimas da covid-19 e sem ter muito o que pedir acaba pedindo a saída do Presidente Jair Bolsonaro

0
28

Grupo instalou mil cruzes no gramado da Alameda dos Estados. Objetivo é questionar conduta do governo no combate à pandemia

 

O Coletivo Resistência e Ação realizou, na manhã deste domingo (28/6), ato para homenagear vítimas da covid-19 no Brasil e reprovar ação de combate à doença pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Nosso objetivo é explicitar a dor das famílias enlutadas pelas perdas das vidas em decorrência da política genocida do Bolsonaro”, explica uma das organizadoras da iniciativa.

Para a ação, o gramado da Alameda dos Estados, em frente ao Ministério da Justiça recebeu a instalação de mil cruzes. A número representa o registro de mais de mil mortes no Brasil por coronavírus em um único dia, nesse sábado (27/6). O país já atingiu a marca de  57.070 mortes.
“Quando eu vi as duas caminhonetes carregadas com as mil cruzes, eu pensei: nossa, são mil vidas. Imagina o que são mais de 50 mil. Perdidas por uma coisa tao antiga que é o negacionismo, o desprezo pela ciência, o desrespeito à vida”, lamenta Cleide Martins, servidora pública e uma das integrantes do Resistência e Ação.
Cerca de 30 pessoas participaram da instação das cruzes, neste domingo (28/6), mas mais pessoas estiveram envolvidas no projeto. É que os mais velhos e os que pertencem a grupos de risco estão em isolamento social. Mais de sessenta pessoas fizeram alguma contribuição financeira e todas as cruzes foram feitas à mão pelo coletivo.
Movimento #stopbolsonaromundial 
Além das cruzes, foram colocadas no local faixas com os dizeres “Bolsonaro, pare de negar”, ” 50 mil mortes”, entre outros. A hashtag #stopbolsonaromundial se repetia em várias. Trata-se de um evento que deve ocorrer ao longo deste domingo (28) em diversas cidades do mundo.
anuncio patrocinado