Chapada: prefeito de Cavalcante desmata 500 hectares de Cerrado e é multado

0
10

Há menos de um mês, a Semad fez uma operação e identificou a devastação de mata virgem em área quilombola kalunga

 

 

O Prefeito de Cavalcante, município localizado na Chapada dos Veadeiros, Josemar Saraiva Freire (PSDB) foi multado em R$ 169 mil e teve duas máquinas apreendidas por desmatar o Cerrado nativo da região. Em sua defesa, ele afirmou que tem autorização municipal para fazer limpeza de pasto. A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), porém, sustenta que o documento não tem validade para justificar o cenário encontrado.

O flagrante foi feito durante a segunda fiscalização da secretaria no município. Vinte e quatro pontos de desmatamento e mineração foram encontrados. Há menos de um mês, a Semad fez uma operação e identificou mais de 500 hectares de mata devastada em área kalunga – 0 maior quilombo do país fica na região (com boa parte em Cavalcante).

“O recente caso em Cavalcante, de desmatamento em áreas públicas e particulares com licenças emitidas pela prefeitura de forma irregular, se agrava pela peculiaridade de que a região, conjugada ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, é um dos últimos rincões de cerrado virgem do mundo, com biodiversidade rica e espécies presentes apenas nesta área”, apontou a Semad em nota.

As informações são do G1.

“O que nos foi apresentado lá no momento da operação foi uma autorização de limpeza de pastagem, o que não era o caso, porque lá não era pasto, era Cerrado virgem, assinado pelo municípios. O município não tem competência para fazer isso e, obviamente, foi o uso indevido da máquina pública municipal para supostamente legitimar uma ação que é completamente ilegal”, explicou Andréa Vulcanis, secretária do Meio Ambiente.

Inicialmente, o prefeito disse que pretendia plantar milho na região que estava sendo desmatada. Perguntado sobre o uso da máquina para legitimar a ação e se irá apresentar alguma documentação para tentar recorrer da multa, o prefeito falou que apenas um advogado comentaria o caso.

anuncio patrocinado