É só subindo, é só subindo… Conheça os mitos e verdades sobre o Viagra

0

O urologista Sidney Glina, chefe do departamento de urologia do Hospital Ipiranga, de São Paulo, desmistifica a azulzinha

 

Desde que chegou ao mercado, o Viagra provocou uma verdadeira revolução nos costumes, podendo ser comparado ao surgimento da pílula anticoncepcional, no início dos anos 60. Lançado há 22 anos nos Estados Unidos, ele se tornou um grande sucesso e uma fonte de renda inesperada para o laboratório americano Pfizer, assim como para os falsificadores do mundo inteiro.

A pílula azul foi o primeiro comprimido para disfunção erétil (DE) e facilitou o tratamento – antes complicado e desconfortável – e trouxe um leque de questionamentos sobre a sexualidade humana e os problemas de ereção masculina em todo o mundo.

Anos após o lançamento, nem todos esses tabus foram quebrados. Muita gente só ouve sobre os medicamentos para DE em conversas informais, o que dá margem para especulações e dúvidas.

Para esclarecer os mitos e as verdades sobre Viagra, o urologista Sidney Glina, chefe do departamento de urologia do Hospital Ipiranga, de São Paulo, levanta as principais dúvidas que os pacientes levam para o consultório:

Homens com problemas cardiovasculares podem usar Viagra

Verdadeiro. “Portadores de angina, insuficiência cardíaca, pressão alta e outras enfermidades relacionadas ao coração podem fazer uso do medicamento, que sempre deve ser prescrito pelo médico. Viagra pode ajudar esses pacientes a retomar ou melhorar a atividade sexual”, explica.

Para fazer efeito, Viagra precisa ser tomado uma hora antes das refeições ou depois da alimentação

Mito. Segundo o profissional, refeições habituais não alteram a absorção do medicamento. Refeições ricas em lipídios (gordura) levam a um retardo na absorção. Entretanto, a eficácia não é alterada (apenas há atraso na absorção e não na eficácia).

Viagra não pode ser tomado com álcool, pois tem ação de efeito retardada

Mito. “Estudos realizados com homens que beberam uma garrafa de vinho mostraram que não existe interação entre álcool e Viagra. Apesar disso, a Pfizer, de maneira responsável, não recomenda o uso ao mesmo tempo”, relata o urologista.

Viagra funciona por até 12 horas

Verdadeiro. De acordo com Sidney, a duração da ação está estimada inicialmente entre 4 e 6 horas, o que é adequado para o perfil de hábitos sexuais de muitos casais. “Porém, estudos demonstram que a sildenafila (princípio ativo de Viagra) pode ter efeito de até 12 horas para um grande número de pacientes com disfunção erétil”.

Viagra perde o efeito com o tempo a longo prazo

Mito. “Estudos mostraram que, mesmo após anos de tratamento com Viagra, a ação do medicamento não foi alterada”, frisa.

Não é aconselhável usar Viagra por muito tempo seguido

Mito. O especialista aponta que todas as evidências científicas comprovam a segurança da utilização de Viagra a longo prazo.

Viagra funciona para todos os graus de disfunção erétil

Verdadeiro. “Viagra é eficaz em casos de disfunção erétil de leve à grave e apresenta boa eficácia independente da causa do problema, seja ela orgânica ou psicológica”, aponta.

Quem tem mais de 70 anos não pode usar Viagra

Mito. Não existe idade máxima para o uso de Viagra. “Todo homem pode utilizar o medicamento para melhorar seu desempenho sexual, desde que seja avaliado previamente pelo médico”, esclarece o expert.

As mulheres não gostam de saber que o parceiro usa Viagra

Mito. “De acordo com a pesquisa realizada em 2006 com usuários de medicamento para DE, coordenada pela psiquiatra Carmita Abdo, a desaprovação da parceira com relação ao uso de medicamento para melhorar o desempenho sexual é de apenas 3%”, conclui.

anuncio patrocinado
Anunciando...