Com arma, bíblia e Constituição, homem se recusa a pôr máscara no DF

0

Funcionário de uma loja de atacado de Santa Maria registrou boletim de ocorrência por injúria e ameaça contra o suspeito nesse domingo

 

Um funcionário de uma loja de atacado em Santa Maria registrou boletim de ocorrência, nesse domingo (17/05), por injúria e ameaça contra um homem que se recusou a usar máscara de proteção facial. O adereço é obrigatório no Distrito Federal desde 30 de abril de 2020. Nesta segunda-feira (18/05), o GDF iniciou a fiscalização.

A vítima contou à Polícia Civil do DF (PCDF) que viu o suspeito sem o item de segurança e o informou sobre a necessidade de utilização do acessório para entrar no estabelecimento comercial.

Após a abordagem, o funcionário relatou que o homem abriu uma bolsa, tirou uma bíblia e a Constituição do Brasil, levantou a blusa e mostrou uma arma de fogo na cintura. Ele ainda teria dito que “também tem uma .45 e, por isso, não precisaria fazer uso de máscara”.

O empregado do Base Atacado insistiu sobre a obrigatoriedade de utilizar máscara e a situação piorou. “Neste momento, o indivíduo cerrou os punhos na direção do rosto do comunicante, empurrando-o e entrando no estabelecimento”, descreve trecho da ocorrência policial registrada na 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria).

O suspeito ainda teria chamado a vítima de “vagabundo”. A polícia e o gerente da empresa de atacado foram acionados. Ainda segundo o funcionário, o homem disse ao responsável pela loja que “quem usava máscara era bandido”.

Após um dos empregados pegar o celular para gravar a cena, o infrator pontuou: “Se for filmar, eu vou mostrar”, deixando a entender, de acordo com o BO, que sacaria a arma. Declarou ainda que o gerente não era o dono do local e que iria voltar.

Um vídeo mostra o homem discutindo com funcionários na porta do estabelecimento. “Tu é ladrão também? Então tira isso da cara”, falou. “Bandidos são esses caras que estão no poder”, enfatizou.

Homem se recusa a usar máscara no DF

A PCDF informou à coluna que a 33ª DP apura o caso.

Há uma semana, a servidora do Ministério Público da União (MPU) lotada no Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) Paula Moreira Félix, 46 anos, foi levada a uma unidade policial após se recusar a usar máscara em um supermercado no Sudoeste.

Multa

O uso de máscara de proteção facial é obrigatório em espaços, vias e transporte públicos, estabelecimentos comerciais, industriais e de serviços no Distrito Federal. Essa é uma das medidas tomadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para evitar a proliferação do novo coronavírus.

Caso uma pessoa física descumpra a norma, pode receber multa de R$ 2 mil. A penalidade é de R$ 4 mil para pessoa jurídica. O GDF estabeleceu que as sanções devem ser aplicadas a partir desta segunda-feira (18/05).

A reportagem não conseguiu contato com o homem alvo da ocorrência policial nem com o responsável pelo Base Atacado. O espaço permanece aberto para eventuais manifestações.

 

anuncio patrocinado