Pedreiro morre após ser esfaqueado por faltar serviço e brigar com contratante

0

Durante discussão pelo pagamento, pedreiro teria se irritado e começado a quebrar serviço que tinha realizado no piso da residência

 

 

Um homem foi esfaqueado e morreu na manhã deste sábado (25) em Cubatão, São Paulo, após discutir por conta do pagamento de uma obra que ele tinha realizado. O pedreiro, Adriano Antônio Lima da Silva, de 30 anos, teria usado uma marreta para destruir o que teria feito após perceber que não receberia o dinheiro pelo serviço. O filho do contratante, então, o atacou com facadas.

A sobrinha da vítima, Thalya Amorim Silva, disse que pouco antes da morte, o tio correu até  sua casa pedindo ajuda todo ensanguentado. “A casa onde tudo aconteceu é perto da minha, ele veio correndo aqui depois de levar seis facadas”, relatou.

O pedreiro foi levado ao hospital por familiares e deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Cubatão, onde ficou internado em estado grave até a madrugada de segunda-feira (27), quando não resistiu e foi a óbito.

Segundo a sobrinha o tio faltou o serviço que estava realizando por três dias na casa de uma idosa no bairro de Ilha Caraguatá pois ficou doente. A idosa então foi à casa do pedreiro e falou com o pai de Adriano que seu filho merecia morrer. “Ela disse que ele merecia dois tiros na cara e ser esfaqueado, isso tudo porque faltou”, conta a sobrinha.

De acordo com Thalya, a idosa disse que contrataria outro pedreiro e que Adriano não precisaria mais ir ao local. Mas Adriano foi buscar suas ferramentas na obra.  A idosa disse a Adriano que ele precisaria voltar no dia seguinte para pegar os equipamentos e uma quantia de dinheiro respectiva a uma parte do serviço que já teria feito.

A sobrinha conta. “Ele passou aqui em casa no sábado de manhã para pegar uma bicicleta emprestada e foi lá na casa da senhora pegar a caixa de ferramentas”. Foi no encontro que as duas partes teriam discutido, já que a mulher se recusava a quitar sua dívida.

“Eu praticamente vi meu tio morrendo na minha frente. Ele chegou aqui sangrando, pedindo por ajuda, desesperado. Teve só tempo de contar pra gente o que aconteceu e, então, caiu no chão. Ainda tem sangue dele no nosso quintal. Não temos condições de limpar isso agora.”, Thalya desabafa.

Segundo a sobrinha, seu tio havia se irritado com a idosa e a empurrado ao chão. Foi quando pegou uma marreta e começou a destruir o serviço que havia realizado no local. O filho da mulher então surgiu de dentro da casa e segurou Adriano. A mulher, que guardava um canivete desferiu alguns golpes contra o pedreiro.

Para a polícia os depoimentos de mãe e filho foram diferentes. Segundo a mulher, ela nem teria  visto a agressão já que estava dentro da casa passando mal com a discussão. Ela disse que seu filho teria desferido os golpes e esfaqueado o pedreiro.

Quando o boletim de ocorrência foi feito o filho da idosa chegou ao local e confirmou a versão apresentada pela mãe.

Até o momento ninguém foi preso.

anuncio patrocinado