Homem é preso com carro de luxo locado em Brasília há 1 ano

0
30

Apreensão aconteceu nessa quinta-feira (23/04), na cidade de Campina Grande, na região agreste do estado

 

 

Um homem foi preso e um caro de luxo apreendido no início da tarde desta quinta-feira (23), na cidade de Campina Grande, no Agreste da Paraíba. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) o veículo havia sido locado em Brasília em maio do ano passado e nunca foi devolvido.

O automóvel, avaliado em mais de R$ 130 mil, foi alugado no fim do mês de maio de 2019 em uma locadora situada no Aeroporto Internacional da capital federal por um homem de 28 anos que nunca devolveu o veículo. Através de uma fraude, o carro foi transferido para uma pessoa de São Paulo.

O condutor do veículo flagrado pela PRF, de 25 anos, informou aos policiais que o carro foi adquirido em São Paulo através de um site de compra e vendas pelo valor de R$ 100 mil, abaixo do preço normalmente comercializado.

Porém, ele não soube explicar aos policiais porque nunca realizou a transferência de propriedade de um automóvel de elevado valor. A locadora registrou o crime em Boletim de Ocorrência na Polícia Civil de Brasília.

Conforme a PRF, esse tipo de crime tem se espalhado pelo Brasil. “Pessoas locam veículos de luxo com o uso de documentos falsos e não devolvem o automóvel. De forma fraudulenta o carro é transferido de propriedade e posteriormente revendido a preços abaixo do valor de mercado. O golpe tem gerado grande prejuízo a empresas de locação de veículos. Quem compra pode até não saber de que forma o golpe ocorre mas, geralmente, tem conhecimento que há algo errado em virtude do baixo valor do bem comercializado e por não poder realizar a transferência de propriedade do automóvel”.

O condutor do veículo foi detido e deverá responder por apropriação indébita e o automóvel foi apreendido e em encaminhado à Polícia Civil em Campina Grande.

A PRF alerta que ao comprar um veículo semi-novo deve-se realizar todos os procedimentos de transferência do bem. Também é importante não acreditar em descontos mirabolantes para não se tornar autor e ao mesmo tempo vítima de uma prática criminosa.

anuncio patrocinado