Mané Garrincha vai receber mais 200 leitos de retaguarda

0

A previsão é de que em até 15 dias parte dos leitos já esteja disponível para a população

 

 

Os Pacientes do novo coronavírus do Distrito Federal poderão contar mais 200 leitos de retaguarda no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. O anúncio foi feito pela Secretaria de Saúde (SES-DF) durante uma visita técnica realizada, nesta segunda-feira (30/3), ao local.
Segundo a pasta, o planejamento para atender mais casos de coronavírus foi dividido em três etapas. A primeira foi garantir até 60 leitos com suporte respiratório nas UTIs e 100 de retaguarda. Na segunda fase, a Secretaria de Saúde terá à disposição 200 leitos com suporte respiratório e 300 de retaguarda – 200 deles no Mané Garrincha.
A previsão é que em até 15 dias parte dos leitos já esteja disponível para a população, em uma área que abrange quase 6 mil metros quadrados. A medida é importante para resguardar o atendimento dos pacientes que já tiveram alta dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), no  entanto ainda estão em recuperação e não podem voltar para casa.
A estimativa da Secretaria de Saúde (SES-DF) é que a taxa de permanência dos pacientes nos leitos instalados no estádio chegue a até 14 dias, a depender da situação clínica de cada pessoa.
Licitações
As medidas serão reforçadas com quatro dispensas de licitação divulgadas recentemente pela Secretaria de Saúde. Com elas, a pasta pretende adquirir 30 mil unidades de álcool em gel de 100 ml e 500 ml; 300 mil testes rápidos para a Covid-19; 300 ventiladores pulmonares para os principais hospitais da rede pública; além da contratação de sete ambulâncias, que estarão de pronto aviso nas regionais de saúde para fazer o transporte de pacientes.
 
Infraestrutura
Até a próxima semana será iniciada a compartimentação dos ambientes, montando uma configuração padrão para os leitos. Diferente das demais unidades da Federação, eles não serão instalados no gramado do estádio, mas no primeiro andar do Mané Garrincha, que possui uma estrutura mais adequada.
Ainda assim, o espaço vai passar por uma reestruturação para atender critérios hospitalares, com mudanças na rede elétrica, higienização do ar-condicionado e instalação de dispositivos para álcool em gel e equipamentos médicos. A ideia é revitalizar a estrutura para melhorar as condições físicas, sanitárias e de segurança aos pacientes.
 
Humanização
Um dos pontos que favoreceu a escolha do Estádio Nacional de Brasília como hospital de campanha foi a possibilidade de os pacientes terem um amplo campo de visão entre o primeiro andar e as cadeiras da arquibancada, além de poderem aproveitar o sol da manhã. A ideia é trazer um atendimento mais humanizado aos que estão saindo da situação de isolamento e se recuperando da Covid-19.
Com informações da Agência Brasília
anuncio patrocinado
Anunciando...