Centro de Sismologia da USP registra novo tremor de terra em Muriaé

0
41

Bombeiros e Defesa Civil receberam ligações de moradores relatando o fato na madrugada desta terça-feira (25). Na última semana, dois abalos atingiram o município. A Prefeitura se manifestou.

 

 

O Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP) registrou um novo tremor de terra em Muriaé, na madrugada desta terça-feira (25). Nesta manhã, o G1 mostrou que os bombeiros e Defesa Civil receberam ligações de moradores relatando o fato. Na última sexta (21), o Laboratório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB) confirmou que dois abalos atingiram o município.

De acordo com o Centro de Sismologia da USP, o novo tremor em Muriaé foi de magnitude 1,9 e ocorreu durante a madrugada, por volta das 3h. Em nota, a Prefeitura se pronunciou sobre o assunto. Veja mais informações abaixo.
Os abalos foram sentidos nos bairros Aeroporto, São José, Planalto, Safira, União, Gaspar e Barra.

 

Novo tremor

Conforme a assessoria de comunicação do Município, o Executivo entrou em contato com o geógrafo Márcio Malafaia Filho e com o técnico José Roberto Barbosa, que trabalha há 40 anos no Centro de Sismologia da USP, para saber mais detalhes sobre a situação.

“É inegável que está havendo atividade sísmica, felizmente de tremores pequenos e dentro da média que ocorre em território nacional, que não causam grandes problemas além do susto”, explicou o técnico.

“Apesar de ter sido mais fraco que os dois tremores ocorridos na última sexta-feira, a sensação de ter sido mais forte se dá possivelmente em virtude da profundidade onde o abalo sísmico ocorreu em relação à superfície”, diz a nota do Executivo.
A Prefeitura ainda ressalta que os tremores de terra no município provavelmente estão sendo provocadas por acomodação natural das rochas que foram a crosta terrestre. Não há como prever se novos abalos vão ocorrer.
Solicitação
A Prefeitura de Muriaé também informou que vai solicitar à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil a vinda de um técnico especializado a Muriaé. O objetivo é realizar estudos sobre o caso.
Em caso de necessidade, os moradores devem entrar em contato com a Defesa Civil pelo número de plantão: (32) 98826-9846.

Primeiros tremores

Dois tremores de terra foram registrados na última sexta-feira, em Muriaé. Segundo o UnB, um abalo atingiu a magnitude de 2,4 graus na Escala Richter e outro 2,2 graus.
Na ocasião, os tremores foram sentidos principalmente nos bairros Barra, Gaspar, Dornelas, Aeroporto, União, São José, Planalto e São Joaquim.

Escala Richter

Criada em 1935 pelo sismólogo americano Charles F. Richter, integrante do Instituto de Tecnologia da Califórnia, a escala Richter foi desenvolvida para medir a magnitude dos terremotos, que consiste no ato de quantificar a energia liberada no foco do terremoto.
A escala Richter se inicia no grau zero e é infinita (teoricamente). Um dos fatores é que ela se baseia num princípio logarítmico, ou seja, um terremoto de magnitude 6, por exemplo, produz efeitos dez vezes maiores que um outro de 5, e assim sucessivamente. Veja mais:

Magnitude menor que 2: tremores captados apenas por sismógrafos;
Magnitude entre 2 e 4: impacto semelhante à passagem de um veículo grande e pesado;
Magnitude entre 4 e 6: quebra vidros, provoca rachaduras nas paredes e desloca móveis;
Magnitude entre 6 e 7: danos em edifícios e destruição de construções frágeis;
Magnitude entre 7 e 8: danos graves em edifícios e grandes rachaduras no solo;
Magnitude entre 8 e 9: destruição de pontes, viadutos e quase todas as construções;
Magnitude maior que 9: destruição total com ondulações visíveis.

anuncio patrocinado