Motociclista não se conforma com apreensão de moto e a retira à força de guincho

0
83

Centro de Cuiabá parou para testemunhar luta entre cidadão e poder público

 

 

Uma das mais movimentadas do Centro de Cuiabá, a Rua 13 de Junho foi palco de um verdadeiro embate entre poder público e cidadão.

Pessoas saíram das lojas e transeuntes interromperam o trajeto para acompanhar a briga entre funcionários de um guincho terceirizado pela Prefeitura de Cuiabá e um jovem que teve a moto apreendida.

Inconformado, ele subiu no guincho e passou a puxar a moto energicamente para livrar o veículo da apreensão. Os amarelinhos acompanharam de longe a luta.

A plateia revoltada vibrava com a reação do motociclista. Em certo ponto, algumas pessoas subiram na carroceria do guincho e partiram para a briga, o ajudando a retirar a moto. Todos que acompanhavam a cena aplaudiram.

Em um dos vídeos que circula nas redes sociais, um homem diz algo como: “estava esperando esse dia chegar”.

Segundo a equipe de assessoria da Prefeitura, as motos estariam estacionadas em cima da calçada e que as imagens feitas pelos cidadãos que testemunharam a confusão serão repassadas às autoridades e o caso investigado pela Polícia Civil.

“Os envolvidos devem responder pelos crimes de vandalismo e agressão”.

Confira nota na íntegra

A respeito da situação de violência registrada no início da tarde desta terça-feira (14) Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob) informa que:

– Os agentes de trânsito e o funcionário da empresa responsável pelo guincho atuaram em conformidade com as suas funções e com suas atribuições legais.
– As motocicletas removidas estavam estacionadas sobre a calçada, infração considerada grave.
– A irregularidade impede o fluxo de pedestres pelas calçadas, colocando-os em risco.
– A Secretaria e o profissional que foi vítima de agressão registrarão boletins de ocorrência junto à Polícia Militar (PM).
– Os envolvidos devem responder pelos crimes de vandalismo e agressão.
– As imagens feitas pelos cidadãos que testemunharam as agressões serão repassadas às autoridades e o crime será investigado pela Polícia Civil.

anuncio patrocinado