No momento, há uma fila de 23 mil pedidos à espera de atendimento. A Secretaria de Saúde credenciou cinco novas empresas de exame para conseguir fazer os atendimentos

Os 23 mil pedidos de  exames de ressonâncias magnéticas na rede pública do Distrito Federal serão feitos em no máximo 60 dias. Esta é a promessa do governador Ibaneis Rocha.
Nesta terça-feira (27/8), foram credenciadas mais cinco empresas para atender os pedidos de exame que a rede pública não está dando conta. São eles: os  hospitais São Francisco, Daher e Santa Marta; a clínica Organik e o Centro de Imagens Gama.
De acordo com o governador, ele não tinha noção de que a situação dos exames estava tão crítica, por isso, resolveu tomar medidas emergenciais. “Chamei a atenção do nosso secretário de Saúde para que tenha um pouco mais de atenção a essas crises para que a gente as evite”, explicou.
A situação chegou a esse ponto depois que as três clínicas responsáveis pelas ressonâncias na rede pública interromperam o serviço devido a falhas nos equipamentos. Além disso, o Instituto de Saúde, responsável pelo atendimento dos hospitais de Base, de Santa Maria e por unidades de pronto atendimento (UPAs), prepara até o fim do ano a instalação de um aparelho próprio de ressonância magnética.
Para que sejam feitos os exames, o Governo do Distrito Federal (GDF) paga R$ 406 a cada um feito na rede credenciada.
De acordo com o governador, ao zerar a lista, as clínicas e hospitais continuarão credenciados. ”Nós esperamos reestabelecer a capacidade da rede pública, mas o acordo vai continuar”, disse.
anuncio patrocinado