Projeto Rondon prepara projetos para atender áreas do Distrito Federal

0
13

Projeto Rondon, que mantém a tradição de atuar em regiões carentes do Brasil, prepara projetos para atender áreas do Distrito Federal

 

É no voluntariado, em busca do desenvolvimento das comunidades brasileiras mais necessitadas, que jovens universitários ganham a chance de evoluírem como cidadãos. Tendo como base os princípios da democracia, da responsabilidade e da defesa dos interesses nacionais, o Projeto Rondon leva às populações carentes dos quatro cantos do país projetos elaborados por instituições de ensino superior, com o objetivo de trazer mudanças permanentes às localidades. Pela primeira vez, a população do Distrito Federal será alvo das ações em prol da qualidade de vida e capacitação social.
A ação, que ocorre em julho de 2020, beneficiará moradores de 10 cidades do DF. O edital deve ser lançado em setembro e selecionará 21 instituições de ensino superior do DF, além de 212 rondonistas — nome dado aos voluntários do programa, sejam eles estudantes sejam professores.
“Se dispor a ir para outro estado é importante e contribui para termos diversos olhares, até mesmo para nossa profissão. Por isso, é necessário conhecer realidades tão próximas e, ao mesmo tempo, tão distantes”, destaca Wanessa Lopes, 23 anos, estudante de publicidade da Universidade de Brasília (UnB), participante da Operação Vale do Acre — a última edição do projeto, ocorrida entre 5 e 21 de julho passados.
Coordenadores de comunicação Coronel Alexandre Scholtz e Lediane Queiroz.(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )
Coordenadores de comunicação Coronel Alexandre Scholtz e Lediane Queiroz.

Voluntariado

O Projeto Rondon teve início em julho de 1967 com a Operação “Piloto”, quando 30 universitários e dois professores saíram do Rio de Janeiro e desembarcaram em Rondônia para uma experiência de 28 dias, período em que realizaram pesquisas e assistência médica no estado. Em 1989, as atividades do projeto foram interrompidas e só retomadas em 2005, sob coordenação do Ministério da Defesa.
Desde o relançamento, o Projeto Rondon realizou 84 operações, que incluem atividades para o desenvolvimento sustentável, geração de renda, palestras educativas, intervenções para a prevenção de doenças e cuidados com a saúde. Ao todo, 1.237 municípios de 24 unidades da Federação receberam o programa federal —  apenas Distrito Federal, Rio de Janeiro e Santa Catarina ainda não foram atendidos. Participaram 2.356 instituições de ensino superior e 23.401 rondonistas, alcançando cerca de 2 milhões de pessoas.
Operação Vale do Acre: educação para melhorar qualidade de vida(foto: Projeto Rondon/Divulgaçã)
Operação Vale do Acre: educação para melhorar qualidade de vida(foto: Projeto Rondon/Divulgação)
Estudante de jornalismo da UnB, Giullia Venus, 20, se enche de alegria ao falar da experiência vivida como rondonista. “É muito trabalho. Rodamos 12 municípios em menos de duas semanas, acordando cedo e dormindo tarde. Mas é muito bom e gratificante. A gente foi com o objetivo de ajudar e fomos nós quem recebemos experiência de vida, de humanidade e profissional. Fomos recebidos com muito carinho, uma hospitalidade ímpar”, relata.
Por meio do voluntariado, o projeto serve como grande fomentador da extensão universitária, afirma o coordenador de comunicação do Rondon, o tenente-coronel Alexandre Scholtz. “É a maneira produtiva de tirar o estudante do espaço físico da universidade para que conheça novas realidades. Esses alunos servem como agentes transportadores de conteúdo para pessoas da comunidade que possam replicar os conhecimentos”.
São professores, líderes comunitários, cooperativas e até mesmo a própria população que recebem diretamente o projeto. “Só na Operação Vale do Acre, foram entregues 14 mil certificados, ou seja, 14 mil sementinhas plantadas e que serão disseminadas para a população desses 12 municípios visitados”, completa Scholtz.
A experiência modificou não só a vida das comunidades, mas de universitários, como o graduando em jornalismo Carlos Augusto Xavier, 22, que precisou pisar e conviver nas terras acrianas para fortalecer o sentimento de pertença. “Independente das diferenças territoriais, culturais e sociais, somos todos brasileiros, humanos e precisamos ajudar. Quando a gente participa do projeto, mesmo que seja uma vez, a gente vira um rondonista. Porque a mudança começa a fazer parte de você para sempre. A união, o amor, o esforço, a entrega, a transformação. Tudo isso é Rondon.

Números:

  • 84 operações
  • 23.401 rondonistas

  • 2 milhões  de beneficiados

Saiba mais:

Previsão de operações Rondon para 2020:
Janeiro
» Operação Yaguaru em Cascavel/PR: 41 IES, 412 rondonistas, 20 município;
Julho
» Operação DF, em Brasília/DF: 21 IES, 212 rondonistas, 10 municípios/cidades; satélites
» Operação Teixeirão II em Porto Velho/RO 21 IES, 212 rondonistas, 10 municípios;
» Operação Bahia em Feira de Santana/BA: 29 IES, 292 rondonistas, 14 municípios;