Movimento cobre placa da Ponte Costa e Silva com o nome Marielle Franco

0
36

O Movimento Mulheres Olga Benario rebatizou a ponte em homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negro Latino-Americana e Caribenha

 

Um movimento de mulheres feministas realizou um protesto na madrugada desta quinta-feira (25/7) cobrindo a placa de entrada da Ponte Costa e Silva com o nome da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, assassinada em 14 de julho de 2018, após sair de um debate com jovens negras, na Lapa (RJ).
Integrantes do Movimento de Mulheres Olga Benario colocaram a faixa em homenagem ao Dia Internacional da Mulher Negro Latino-Americana e Caribenha, comemorado hoje. Em publicação em uma página nas redes sociais, o grupo ressaltou que Marielle “mulher negra, lésbica, periférica e política eleita, foi brutalmente assassinada e, há exatos 498 dias o Brasil e o mundo inteiro não têm respostas sobre quem mandou matá-la”.
O texto diz ainda que, no Brasil, Marielle Franco se tornou um dos símbolos das lutas das mulheres. “E jamais descansaremos enquantos 13 de nós somos assassinadas e 135 estupradas, pelo descaso do Estado, e enquanto forem feitas homenagens a quem é símbolo do que nos assassina.”

Crime

A vereadora do Rio de Janeiro foi morta a tiros, na noite de 14 de março de 2018, dentro do carro em que iria para casa. Ela voltava de um evento quando foi atingida. Além dela, o motorista também morreu baleado. Os criminosos conseguiram fugir.
anuncio patrocinado