UPAs devem voltar a receber recursos federais em 90 dias, prevê Saúde

0
21

A pasta está sem receber o auxílio do Ministério da Saúde desde 2017

 

As Unidades de Pronto Atendimento do Distrito Federal devem voltar a receber recursos federais em 90 dias. A previsão foi anunciada pelo secretário de Saúde, Osnei Okumoto, durante apresentação do balanço das ações dos 180 dias do novo governo, na manhã desta sexta-feira (12/7).

Além dos recursos locais, que variam entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões para custos operacionais, cada uma das seis unidades de saúde passará a receber R$ 500 mil do Ministério da Saúde. A Secretaria de Saúde não recebe o apoio desde 2017. Assim que a entrega de todos os documentos for realizada, as Upas receberão o recurso. “Acho que fizemos muita coisa boa, mas só se passaram seis meses, ainda temos muito o que fazer. Sou bastante ansioso e quero resolver tudo de uma vez, mas tudo o que propusemos está sendo feito. Não vou dar nota do nosso trabalho agora. Vou esperar pelos próximos três meses”, disse Okumoto.

De 1° de janeiro a 30 de junho, a pasta realizou 31.162  procedimentos cirúrgicos, em 14 hospitais da rede pública. Do total das intervenções, 13.557 foram eletivas e 16.889 de urgência e emergência. Nesse período, o Fundo de Saúde do DF (FSDF) pagou mais de R$ 3,8 bilhões em despesas totais, que vão desde contratos e serviços a pagamento de pessoal, como pecúnias que estavam pendentes em gestões anteriores. Segundo a pasta, houve uma economia superior a R$ 7,3 milhões em contratos de limpeza, em comparação com os contratos anteriores.

Além disso, o secretário inclui na conta a entrega de três novas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), Planaltina, Santa Maria e Estrutural. E prometeu entregar outras três até dezembro deste ano. Elas estão em construção e ficam no Recanto das Emas, Samambaia e Riacho Fundo 2. O custo chega a aproximadamente R$ 10 milhões.

Combate à dengue

Osnei Okumoto falou ainda sobre as ações para combater a dengue. Em 37 dias de funcionamento, as tendas de hidratação atenderam 36.244 pacientes com suspeitas da doença. Nos 180 dias do governo,  892.629 imóveis receberam a aplicação do fumacê, segundo ele. “Nosso intuito agora é trabalhar para que quando o período de chuva chegar não sejamos pegos de surpresa novamente com uma epidemia de dengue. As ações que estamos fazendo é de prevenção para o próximo ano”, ressaltou o secretário da Saúde.