Brazlândia terá uma escola técnica em 2020

0
14

Obras devem ser concluídas no início do ano. Governo e comunidade definem cursos que serão oferecidos para 1,2 mil alunos

 

Enquanto as obras da Escola Técnica de Brazlândia avançam na Vila São José, um grupo de servidores se debruça na Regional de Ensino da região administrativa para consolidar o projeto pedagógico da nova unidade escolar. Prevista para inaugurar no início do próximo ano, já se sabe que o colégio poderá atender até 1,2 mil estudantes nos três turnos.

“Temos uma série de coisas para definir agora: a linha pedagógica, a questão dos mobiliários, o corpo docente”, explica o coordenador da Regional de Ensino de Brazlândia, Humberto José Lopes. “Estamos todos muito empolgados, porque é uma estrutura muito importante para toda a comunidade”, emenda.

Foto: Acácio Pinheiro/ Agência Brasília

O professor explica que a comunidade está ansiosa com a chegada da nova escola técnica da região e participa de maneira ativa, contribuindo com sugestões e, na escolha dos cursos que serão ofertados. “Fizemos dez audiências públicas. Em todas, explicamos a comunidade o formato dessas escolas, a capacidade de atendimento, o serviço oferecido. E ao final, as pessoas contribuíram dizendo quais os cursos desejados”.

Além das consultas presenciais, a Regional de Ensino também buscou os conselhos populares por meio da internet. “As pessoas puderam votar online também, o resultado de tudo isto estamos debatendo agora. Vamos ver se é possível ou não atender aos pedidos”, afirma Lopes.

Entre os cursos escolhidos pela comunidade estão Informática, Administração, Enfermagem, Técnicas Agrícolas e Libras.

Projeto

O governo investe cerca de R$ 14,5 milhões na nova unidade escolar de Brazlândia. As obras, que se iniciaram em agosto de 2018, têm previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2020.

R$ 14,5 milhõesÉ o investimento na nova unidade

A construção é semelhante à Escola Técnica do Guará, instalada na QE 17/19. O espaço possui mais de 4,4 mil metros quadrados de área construída, com quadra poliesportiva, cozinha, refeitório, bloco pedagógico com 12 salas, além das salas administrativas, banheiros com recursos para captação e reaproveitamento da água, laboratórios, sala dos professores, biblioteca, auditório para 200 pessoas e, dois amplos estacionamentos.

“Tudo acessível, com conforto e pensado de maneira sustentável. Os ambientes têm ar-condicionado. A biblioteca, por exemplo, possui elevadores. É uma obra bonita e muito funcional”, avalia o engenheiro responsável pela obra, Adriano Barros.