Marido mata mulher a tiros e deixa homem ferido no Cruzeiro

0

A mulher, esposa do atirador, morreu na hora; a segunda vítima, alvejada na cabeça e no tórax, foi socorrida em estado grave

 

Uma mulher foi morta a tiros pelo companheiro, em um apartamento no Cruzeiro Novo, na noite desta quarta-feira (12/6). Informações preliminares dão conta de que o casal estava acompanhado de dois ex-moradores quando uma discussão começou. O autor dos disparos, o pastor Joenil Queiroz, é síndico do prédio e atirou ao menos cinco vezes contra as vítimas.

A mulher dele, Francisca Náidde de Oliveira Queiroz, 57 anos, morreu na hora. Ela teria entrado na frente de um dos ex-moradores na hora dos disparos. A outra vítima, Francisco de Assis, 42, foi atingida na cabeça e no tórax. Ele foi encaminhado em estado grave para o Hospital de Base. O terceiro envolvido, Marcelo Soares Brito, 40, conseguiu fugir. Com Joenil, a polícia encontrou uma pistola calibre .380.

Segundo elas, durante a despedida, Joenil chegou armado. “Ele chegou mandando eles subirem para conversar, dizendo: ‘Vamos lá conversar, porque, agora, vou te mostrar quem é homem. Agora vamos resolver!’.” Francisco, segundo as duas, respondeu: “Calma, seu Queiroz, o que foi?”. Francisco seguiu o síndico e foi acompanhado por Marcelo, que não quis deixá-lo sozinho. Em seguida, as primas telefonaram para a polícia, pedindo socorro.
“Houve uma discussão e os disparos. A mulher teria se jogado em frente a um dos homens. Dois foram atingidos e um conseguiu escapar”, relatou um morador, que não quis se identificar.
Marcelo foi seguido por Joenil até a rua em frente ao prédio, mas foi parado por uma equipe da Polícia Militar. “Quando chegamos ao local para apurar o chamado, nos deparamos com um homem que estava armado. Ele batia com as descrições informadas e, na mesma hora, fizemos a abordagem. Em seguida, confirmamos que se tratava do autor”, detalhou o tenente Leonardo Santos, do Comando de Policiamento Regional Metropolitano (CPRM).

Testemunho

Joenil e Francisca chegavam no prédio no momento em que Francisco e Marcelo se despediam das primas. Em depoimento, o sobrevivente disse que, quando foi abordado pelo síndico, achou que se tratava de alguma pendência em aberto. “Nunca tivemos desavenças. Quando nos mudamos de lá, ele chegou a reclamar do barulho. Voltamos várias vezes (ao edifício). Ele nos via, mas não cumprimentava”, relatou Marcelo.
Ainda segundo ele, Joenil afirmou que teria visto Francisca em Santa Maria, perto da casa dos ex-vizinhos. Entretanto, Marcelo disse que ela nunca os visitou. “Ele (Joenil) chegou nervoso quando nos viu. Pediu para a mulher esperar (no térreo) e subiu. Em seguida, desceu armado. Comentei que não devíamos nada, que estava tudo em dia. E ele falou para o Francisco subir, porque precisava conversar com ele”, continuou.
Marcelo e Francisco estavam juntos havia cinco anos. Durante a discussão no apartamento do pastor, Joenil alegou que Francisca tinha um caso com Francisco, que tinha filmagens dos dois juntos e que moradores do prédio teriam visto os dois conversando de madrugada. “Ele (Joenil) disse ‘Vamos resolver isso agora’. Se ela tinha um amante, não era Francisco. Coloco a mão no fogo por ele. Ela falou que o tinha como um filho”, contou Marcelo.
Joenil disse que mostraria “como se resolvem as coisas”, em seguida, deu um tiro na cabeça de Francisco, na companheira e, mais uma vez, no ex-vizinho. “Foi muito horrível. O sangue voou na parede. Vi a porta aberta e consegui fugir. Ele queria me matar. Saí correndo e gritando por socorro”, completou Marcelo.

Joenil está preso e presta esclarecimentos na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central), onde foi registrado o flagrante. O caso será investigado na 3ª DP (Cruzeiro Velho).

anuncio patrocinado
Anunciando...