Casais encontram caminhos para manter relacionamentos saudáveis

0
126

Relacionamentos não vêm acompanhados de receitas para o sucesso, mas pequenas atitudes podem deixá-los mais saudáveis

 

A poeta Cecília Meireles escreveu: “Ai, seja como quiseres, amor-perfeito”, e ensinou que não existe fórmula para que esse sentimento traga felicidade. Ele pode adquirir qualquer forma, desde que seja saudável. Um namoro que acabou de começar ou um casamento de décadas exigem esforços no sentido de manter a magia descrita pela escritora no poema. “Eu vi bandeiras abertas sobre o mar largo e ouvi cantar as sereias. Longe, num barco, deixei meus olhos alegres.”

Relacionar-se com qualquer outra pessoa não é simples. Manter esse encanto poético durante muito tempo, menos ainda. Mas refletir sobre cada pequena atitude a dois pode ser um ótimo primeiro passo para que os relacionamentos continuem fazendo bem a ambos. Adriana Paiva, 36 anos, seguiu essa dica. “Eu e meu marido passamos por problemas, como quase todo casal, e enfrentamos uma grande dificuldade no nosso casamento depois de um tempo. Mas olhamos para isso e vimos que deveríamos resgatar nosso amor.” Depois dessa percepção, eles passaram a ver como pequenas coisas poderiam ser mudadas para que o grande sentimento pudesse permanecer no relacionamento de 15 anos com o marido, André Roriz, 37.

“Fizemos até uma terapia de casais e passamos a resolver tudo com ainda mais respeito e empatia. Hoje, sempre conversamos muito sobre tudo e sabemos o que machuca um ao outro, porque vimos que esse diálogo sincero é essencial para qualquer relacionamento”, conta Adriana. A solução adotada pode até parecer corriqueira, mas é um dos ensinamentos de Fabrício Guimarães, doutor em psicologia e especialista em conflitos de casais. “Uma das chaves para ter relações saudáveis é desenvolver a capacidade de dialogar, porque isso não é fácil. Temos que saber ouvir o outro, se colocar no lugar e não ficar esperando que só um dos dois mude algo, ambos precisam de pequenos sacrifícios para mudar as atitudes negativas”, diz.
Segundo ele, todo namoro ou casamento passa por fases difíceis, ninguém escapa. Saber lidar com cada uma delas é essencial. “O que desgasta grande parte dos relacionamentos são pequenas atitudes do dia a dia, mas são também gestos simples que salvam esse amor. Então, eu sempre aconselho que o casal tenha pequenos cuidados, lembre um do outro, tenha carinho e respeito. Isso tudo ajuda”, ensina.

De quem é a culpa?

Na hora dos impasses, é normal que um aponte o dedo para o outro. Essa, no entanto, está longe de ser a melhor forma de resolução dos conflitos. Gláucia Diniz, PhD em psicologia e especialista em dilemas da interação família, diz que é fundamental compreender o outro no relacionamento. “Um convívio saudável é resultado da presença de respeito e compreensão pelas diferenças e necessidades dos dois. Então, na hora da crise, precisamos parar e tentar entender as insatisfações do outro, sem apontar dedos”, explica.
Apesar de menos tempo de união, Philipe Nathan Silva, 26, e Caio Fabrício Ramos, 28, fazem isso para que tenham um relacionamento feliz e duradouro. “O que vamos aprendendo juntos é que não existe isso de quem está certo e quem está errado. A gente não tenta achar um culpado, tentamos encontrar o que podemos consertar, isso sim. Procurar quem é o responsável por aquela briga só provoca um sentimento ruim, que não favorece em nada”, diz Philipe. Juntos há três anos e planejando o casamento, eles também ensinam a importância das pequenas coisas.
“Se a gente trata de um problema já no início, quando não é algo assim tão relevante ainda, aquilo não cresce e não vira um monstro que acabaria sendo motivo até de separação. Acho que guardar pequenas feridas no coração só deixa aquilo se transformar em uma bola de neve”, lembra Caio. O noivo concorda: “Nunca guardamos um problema na gaveta. O que nós decidimos guardar são só os sentimentos bons. Eu gosto muito de demonstrar a ele, em vários momentos do dia, que estou pensando nele e o quanto o amo”.